segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Eu odeio horário de verão

Mudaram as horas e o ritmo das coisas, mas quem vai acertar os meus ponteiros?  
Estou de punho fechado para brigar com o senhor das horas. Onde está você, homenzinho infernal?  
O sufoco começou na noite anterior. O sono chegou atrasado e deu início a uma série de desencontros.
O primeiro a se ressentir foi o meu estômago, que  começou a roncar pedindo comida. Como uma boa menina eu não consegui ignorar os seus lamentos, bendita hora!
Com o estômago cheio e a consciência pesada, eu deitei novamente na cama. Olhei o relógio, 2 horas.    
- Dorme, Daniela. Amanhã vai ser um sofrimento para acordar, dizia o meu cérebro.
Então, eu me concentrei na chuva, aos poucos o pensamento foi arrastado para as encostas da cidade, será que teria ocorrido algum desabamento de terra? Alguém estaria em apuros?
- Pense em outra coisa...
Lembrei do aniversário dos meus filhos. Logo irão para a faculdade, vão querer sair sozinhos à noite...estou ficando velha...
- Pense em outra coisa... Ai, meu Deus já são 4 horas.
 Liguei a televisão, assisti o final do filme Anna Karenina, baseado no livro de Leon Tolstói. Será que na Rússia tem horário de verão?
Não cheguei a nenhuma conclusão. Só fez com que eu ficasse mais 2 horas acordada, pensando na neve, no sofrimento da Anna e no poder do amor para o bem e para o mal.
Mas, hoje ao pesquisar sobre esse assunto, profundo e impressionante, eu descobri que o presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, ordenou que o relógio do país fique  permanentemente no horário de verão.
Para dar base a seu argumento, ele mencionou as “vacas infelizes e outros animais que não entendem a mudança do tempo e que não entendem que serão ordenhados em um horário diferente”.
Claro. Hoje a vaca é ordenhada em um dia. Na semana seguinte, ordenhada em outro horário. Não é fácil de conviver com algo assim. Concordo com as vacas.
Não acho justo que uma estação tão simpática como verão seja anunciada com uma medida tão chata. – Você vai ter que acordar 1 hora mais cedo.
 Até mesmo o verão parece se ressentir disso. Percebo que o horário foi anunciado, mas de verão mesmo não temos sequer um raio de sol.
Hoje eu me sinto como um fantoche, manipulada pelos ponteiros do relógio.
Argh!, Que sono!