segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Praia do Sino - O misterioso som das pedas


A praia do Sino, ao norte de Ilhabela, é encantadora e cheia de mistérios. Cercada de coqueiros, a praia é pequena, de areia fofa e água mansa, mas o que a torna mais especial são as pedras.
Por um caminho de madeira, centenas de turistas vão todos os anos conhecer a “pedra do sino”, que deu nome à praia, chamada pelos mais antigos de Garapocaia (pedra que toca). 
Entre as pedras, formam-se pequenas piscinas de águas naturais, onde muitos casais aproveitam para namorar em noites de lua cheia.  
Duas lendas envolvem a praia. Uma delas, diz que certa noite, no ano de 1647, o repicar dos sinos despertou a pacata população de Ilhabela. Correram todos em direção aos sinos e, assombrados, viram passar defronte a praia um caixão com quatro (seis) velas acesas. Sobressaltados, os moradores puseram-se de joelhos e rezaram enquanto o caixão passava pelo canal, levado pela correnteza, em direção ao sul. Dizem que era a imagem do Bom Jesus que foi encontrada em Iguape e até hoje é venerada lá como Bom Jesus da Cana Verde.

Outra história contatada por muitas gerações de caiçaras diz que no século XVII, ao amanhecer, surgiu uma caravela de piratas que se dirigia à ilha de São Sebastião, enquanto a população ainda dormia.
Estavam os piratas prontos para abrir fogo contra a ilha quando ouviram soar sinos despertando o povo que se preparou para receber os inimigos. Nisto surge um guerreiro que tomou o comando e, em pouco tempo, fez o inimigo recuar. Este guerreiro era São Sebastião. Voltou a calma ao povoado e quiseram saber onde estavam os sinos.
Os moradores teriam descoberto que não eram os sinos da Igreja da Armação. Ninguém sabia explicar, a não ser os indígenas que diziam "Garapocaia, Garapocaia" enquanto apontavam para as pedras dessa praia que passaram a chamar-se "Pedras do Sino" e que hoje são atração turística da ilha.