sábado, 2 de junho de 2012

Malditos Números


Ele tinha 30 anos a mais do que ela.

- Isso vai ser um escândalo Joana, quer matar o seu pai do coração? Cochichava a mãe dela baixinho, com medo de que o pai pudesse escutar.
- Os números não me interessam, respondia a menina rebelde.

Os números sempre foram os maiores obstáculos na vida da menina.
Nascida à zero hora, do dia 1º de janeiro, não pode chegar ao mundo do jeito planejado.
Por causa do réveillon, a rua em frente a sua casa estava abarrotada de gente, e os seus pais não conseguiram chegar a tempo no hospital.
Ela nasceu no carro, no susto, na marra e tudo por causa dos números.
Esses mesmos números a perseguiram no colégio. Sofria para passar nas provas de matemática.
Quando foi finalmente para a Faculdade, deu de cara com outro número: os números do saldo bancário. Que sufoco!
Aí encontrou o Jorginho, mestre em contabilidade, o sonho dos seus pais, mas por uma questão de afinidade os dois se separaram.
Agora finalmente estava certa de ter encontrado o homem da sua vida.
Ele não entendia de números, sua conta bancária vivia no vermelho, mas era mestre em línguas: como beijava bem.
Só tinha um problema: os números da idade.
Só que dessa vez ela não se deixaria intimidar.