domingo, 29 de julho de 2012

Uma cena intrigante



A princípio quem olha esse quadro, conhecido como “As Meninas”, não nota os detalhes interessantes.
Vamos comigo, sem pressa...
No centro do quadro está infanta Margarita rodeada por suas damas de companhia e as anãs da corte.
Devido ao jogo de luz e sombra, a imagem da infanta se sobressai. Mas, espere... será que ela é mesmo a personagem principal da cena?
Se olhar a esquerda verá o próprio Velásquez com tinta e pincel nas mãos olhando para fora do quadro? Será que olha para os seus fãs?
Se quiser acreditar nisso, acredite. Mas, eu vou mais longe...
Veja logo atrás dele, no espelho pendurado na parede, a imagem do rei Felipe IV e da rainha Mariana.
Pode ser que estivessem apenas observando a cena, mas pode ser também que estivessem posando para o quadro de Velásquez.
Se a segunda opção for verdadeira (é a minha preferida), então, todos os demais personagens deixam de ser principais e passam apenas a figurantes.
 Como se estivessem fazendo uma visita ao casal real, bem na hora em que o pintor está retratando-os.
Isso muda toda a perspectiva, mas só um observador consegue perceber o quanto essa cena é intrigante. O que, claro, torna ela ainda mais especial.  
Nomeada originalmente como A Família, a tela foi salva de um incêndio que atingiu o Palácio Real de Madrid em 1750, passando ao Museu do Prado em 1819 e recebendo, posteriormente, o título de Las Meninas.
Embora "menina" seja uma palavra da língua portuguesa, era usada na corte espanhola com o sentido de "dama de companhia".
O pintor Diego Veslásquez, desde cedo foi incentivado a buscar inspiração na natureza e ganhou fama por retratar em seus quadros as imagens de forma realista.
Dizem que ele costuma pintar com pincéis de cabo curto e de cabo longo para poder se afastar ocasionalmente da tela, durante o trabalho. Ele morreu em 1660 e sua mulher, poucos dias depois.