sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Um encontro com gênios e reis

EUROPA (2012)

França - Paris
 
Essa manhã foi reservada para ir ao Museu do Louvre.
 




 Os guardiões que protegem a entrada do Museu 


 
 
 

Chegando lá nós seguimos direto para a ala Denon, sala 6, conhecer a Monalisa. O espaço é disputado, mas com jeitinho e bom humor tudo dá certo.

 
Eu me senti em um parque de diversão, com vontade de correr pelos corredores para não perder tempo e conhecer o máximo possível. É tanta coisa, gente!



 
 
O Código de Hamurabi também é imperdível!




E o que dizer do apartamento onde viveu Napoleão? Um luxo :)

 
 
 
Muitas obras que eu só tinha visto em livros, algumas, inclusive, eu cheguei a abordar no blog como tema de estudo, estavam lá.


Adorei saber que o museu tem o mapa com informações sobre as principais obras no idioma português/ Brasil, acho que é um bom sinal, não é?


 
 
Foi surreal. Só paramos para almoçar em um café no terraço do museu, com uma vista linda.

 
Surpresa, eu vi um casal de noivos caminhando pelo átrio, cercado de fotógrafos.
Se eu morasse lá, também tinha feito isso.
 

Saímos de lá e depois de pegar metrô e trem chegamos ao Palácio de Versalhes. Atenção: Não façam isso, é super cansativo.
 
Se tiver opção, vá um dia no Louvre e outro em Versalhes.




O castelo, como já esperava, é lindo. Eu tinha visto o filme da Maria Antonieta há pouco tempo e, por isso, as imagens estavam fresquinhas na minha mente.


Logo na entrada, dá para avistar a capela. Uma pena eu estar tão cansada, mal conseguia caminhar. Uma loucura!




Andei devagar para reparar nos detalhes, como esse belo lustre.


Olha só o tamanho de quadro. Mas, quase ninguém repara. É porque lá é TUDO grandioso!

 
A sala dos espelhos onde foi assinado o Tratado de Versalhes, os aposentos da rainha e do rei, a sala onde eles faziam as refeições, enfim, está tudo lá preservado.
 

Na época da Revolução Francesa, o castelo foi pilhado e muito maltratado, mas o que foi restaurado e hoje é apresentado aos turistas impressiona. Imagina como não era antes?
No que dia em que fui conhecer o castelo estava ocorrendo uma exposição inusitada, como essa escultura de sapatos feita com panelas. Uma referência ao gosto de Maria Antonieta.


Os jardins do castelo fazem jus à fama, infelizmente não aproveitei o local tanto quanto gostaria. Por lá também fica os castelos de Trianon, refúgio de Maria Antonieta, aonde ela ia quando queria descansar das intrigas da corte. 
Saí de lá com muita compaixão pela rainha.


Ela foi separada dos filhos, viu o marido e os amigos morrerem um a um e depois, sozinha e sem direito a defesa, acabou os seus dias sendo degolada em praça pública, odiada por todos. Ela morreu com a minha idade, 38 anos, era tão bonita.

 
Dizem que era a filha mais bonita do rei da Áustria, mas que no final parecia uma velha de tão maltratada que foi pelos revolucionários. 
Eu fiquei meio obcecada por esse assunto e depois que voltei de lá fiz inúmeras pesquisas. Um dia eu conto o que descobri.
 
Outra dica, o ingresso para o Castelo de Versalhes pode ser comprado em uma banca na estação de trem, faça isso porque é o mesmo preço e evita fila.
E aproveite para comprar a passagem de trem de volta à Paris. Não esqueça.
Para descansar a mente, no final da tarde, em Paris, nós sentamos em um banquinho na Praça de Italie para uma overdose de glicose, rsrs. Ai que saudade, da minha tarte aucitron (torta de limão)!