quinta-feira, 11 de outubro de 2012

14º Dia - Dieta: Mercado de Peixe às escuras

Sigo firme na minha dieta. Já faz duas semanas que aboli das refeições o arroz, feijão, carne, pão branco e massa.
Ainda não estou sentindo falta desses alimentos. Estou substituindo- os por verduras e legumes, sendo que alguns eu estou provando pela primeira vez. Também tenho dado mais atenção aos peixes e frutos do mar.
Não abro mão do meu cafezinho com açúcar mascavo, logo de manhã. Isso deixa o meu dia mais doce.
Na hora do café da tarde, eu procuro comer uma fruta e um sanduíche natural com pão preto ou iorgute natural. Hoje, com o calor, incrementei com picolé de frutas.
No jantar eu preparo uma refeição quente. Isso inclui legumes refogados que acompanham ovos cozidos e filé de frango.  
Mas, sem dúvida a refeição mais divertida é a hora do almoço quando encontro o pessoal no Espaço Bem Estar.
Aliás, estávamos tão animados nos últimos dias que não percebemos o recado na porta, dizendo que hoje a rua onde está localizada a sede estaria sem luz.
A hora que cheguei estava tudo escuro. A Mariana lutava para tomar o shake. É que sem luz, a bebida foi preparada de uma forma diferente.
Ao invés de ser batido no mixer, o shake foi feito na mão, batido como caipirinha. (Que comparação absurda, kkkk)
A Tânia fez um exercício danado para os braços.
Eu escolhi o sabor morango e quase não percebi diferença no gosto da bebida, apenas um pouco menos gelado. Já a Mari, como não se dá com leite, achou difícil de engolir. Levou mais de meia hora para beber todo o shake.  
E os outros companheiros na luta contra a balança como reagiram? Eu cheguei tarde à sede e não os encontrei. Como foram embora rápido, acho que também não aprovaram.
Como disse a Mariana: beberam rápido como se fosse remédio. Será?
Aliás, nossos encontros no Herbalife estão muito animados. Cada dia eu aprendo uma coisa nova com eles, sobre um novo lugar para passear, dicas de receitas, visão de mundo e muito mais.  
Sabe o que eu acho engraçado? É que moramos em uma cidade pequena e eu não os conhecia antes de iniciar o tratamento. Quanto mais coisas faltam para conhecer? Acho que antes eu estava limitada demais ao meu mundo.
O problema é quando surgem diversas conversas paralelas durante o encontro, todos querendo falar ao mesmo tempo. O Quinho diz que a culpa do Herbalife estar parecendo um Mercado de Peixe é minha, será?
Ele comenta que antes da minha chegada, as pessoas eram mais reservadas.
Eu andei pensando a respeito e cheguei à conclusão que se existe um responsável pela mudança na forma como passamos a nos relacionar é a rede social.
O fato de estar contando a minha experiência no Blog uniu a gente, afinal conseguimos nos reconhecer e sentir que, apesar de termos opiniões e vivências diferentes, estamos todos no mesmo barco.
E esse barco vai longe, com a alegria que só a amizade é capaz de despertar.