terça-feira, 20 de agosto de 2013

Liubliana: Pequena pérola da Europa

EUROPA
Eslovêina -  Liubliana
Chegamos a Liubliana, capital da Eslovênia, em uma tarde de verão e ficamos hospedados no Hotel Galeria Rooms, que fica localizado em um andar de um pequeno prédio, próximo do centro, tendo a sua frente uma praça grande e arborizada.


A dona do hotel é uma fotógrafa brasileira, que na juventude pegava ondas no Litoral paulista até se apaixonar por um esloveno.
O nome do hotel faz referência ao fato de ser uma galeria com exposição de imagens incríveis da Eslovênia. 


Mas, o melhor de tudo foi encontrar alguém que falasse o nosso idioma e pudesse dar algumas dicas de passeio e gastronomia. O casal nos presentou com uma garrafa de vinho, Sladki Muskat, bem docinho, perfeito para acompanhar a sobremesa.

Apesar de ser uma capital, Liubliana é uma cidade pequena. Nós caminhamos até o centro e chegamos até a praça do poeta nacional, France Prešeren.
O rio Lublianica divide o centro da cidade em dois. De um lado, a parte antiga e o acesso ao castelo, do outro a parte comercial e política da cidade.

Por algum tempo, nós ficamos apenas olhando os barquinhos passeando pelo rio e sentimos uma imensa paz. Atravessamos a Ponte Tripla rumo à parte mais antiga da cidade.


Ao redor da ponte existem inúmeros cafés e restaurante. Logo percebemos que a bicicleta era o meio de transporte bastante utilizado pelos moradores.

Neste dia, estava ocorrendo um evento, uma espécie de tarde de autógrafos com os ex- jogadores de basquete da seleção eslovena.
Uma das ruas estava coberta por sapatos, um pouco bizarro, mas divertido.

Já escurecia quando chegamos a Ponte dos Dragões e para tornar a situação ainda mais mágica fomos agraciados com a lua cheia. 

Nós ficamos sabendo depois que o dragão faz parte de uma lenda de Liubliana. Aliás, dizem os antigos que um deles morava na torre do castelo e costumava atirar fogo para aterrorizar os habitantes.

O castelo de Liubliana é um lugar para tirar fotos panorâmicas da cidade e chegamos até lá, no dia seguinte, de funiculare.

Nós também visitamos a Catedral de São Nicolau, dedicada ao padroeiro dos marinheiros, construída no século XIII. 
Na lateral, foi esculpida uma porta em homenagem a visita do Papa a Ljubljana em 1996.

De lá seguimos rumo à Caverna de Postojnska (EU 22,90), que fica a apenas 50 km de distância da capital. Era verão, mas dentro da caverna a temperatura estava 10 graus. Nós alugamos um espécie de sobretudo de lã, que foi a nossa salvação.

Lá almoçamos em um restaurante por quilo, com preço muito bom. Também visitamos algumas barraquinhas que vendiam vários tipos de mel.

Neste dia, continuamos o passeio até a Costa Adriática, onde estão localizadas as cidades de Piran e Portoroz.  




Nós jantamos em um restaurante à beira mar e assistimos ao pôr- do- sol. Antes de ir embora, passamos em uma lojinha para comprar o famoso sal de Piran.
E, pela primeira vez, experimentei um chocolate salgado. Muito bom.


 Ainda tinha um lugar que queríamos conhecer antes de ir embora da Eslovênia e chama Castelo de Bled, por isso estendemos a estadia por mais uma noite em Liubliana.

Como o Hotel Galeria estava lotado, nós nos hospedamos no Plaza, o hotel mais chique que conhecemos durante toda a nossa viagem.

No dia seguinte, após um refinado café da manhã, com um tempo chuvoso nós seguimos ao Castelo de Bled (EU 8,00), onde está um museu que conta a história da ocupação da cidade e restaurantes, mas o que chama mesmo a atenção é à vista da pequena ilha em frente ao castelo.

A ilhota abriga uma igreja que é o símbolo mais fotografado do país. Ao redor desse lago há uma cadeia de montanha com pinheiros, logo atrás os picos negados conhecidos como Alpes Julianos, homenagem ao romano Júlio César.
Parece uma pintura, mas é real.