sábado, 3 de agosto de 2013

Paris - Moulin Rouge a Montmatre

EUROPA
França - Paris

Uma dica importante: vá a Montmatre logo no início da viagem a Paris.
O motivo é simples, o lugar tem muitas escadarias e caminhar pelo bairro pode ser cansativo, por isso é importante ir até lá quando ainda se tem perna para isso.
Na minha primeira viagem a Paris, eu sabia disso e aproveitei muito pouco o passeio, além do mais estava chovendo.
Por isso, desta vez, eu planejei conhecer realmente Montmatre, não apenas a Basílica de Sacré-Cœur e a Praça du Tertre, conhecida como a praça dos pintores.
Chegamos a Montmatre pela Linha 2 (Estação Blanche), bem em frente ao famoso cabaré Moulin Rouge.

 

Atravessamos a avenida e subimos a Rue Lepic e não demorou muito para estarmos em frente ao Café Des 2 Moulins, cenário do filme O Fabuloso Destino de Amelie Poulin.
 

A caminhada estava apenas começando. Nós passamos pelas Rue D’Abbesses, onde está o moinho Le Moulin La Galette; Rue Girardon, vimos a escultura “O Passa Muralhas”, que ilustra um personagem do escritor Marcel Aymé que descobre ter o talento de atravessar paredes.

 
 
 
 
De lá avenida Junot até a Rue de L’Abrevoir, onde estão localizadas as vinhas de Montmatre, o restaurante Maison Rose e o cabaré Le Lapin Agile.
Esses locais eram muito frequentados músicos, pintores, cantores e boémios, como Picasso, Utrillo, Braque, entre tantos outros.

 
O Le Lapin Agile, o mais antigo dos "cabarés artísticos" de Paris, é uma pequena casa de esquina, pintada de cor-de-rosa.
Continuamos andando pela Rue Des Saules até a Rue Cortot, onde está o Museu Montmatre, que um dia já foi à sede do antigo hotel Rosimond, onde viveram Renoir, Utrillo e Dufy.

Passeamos pelo jardim, mas decidimos continuar o passeio pelas ruas do bairro até a Basílica de Sacré-Cœur, na Rue Du Mont Cenis.
Ali é possível ter uma vista panorâmica de Paris. Sempre tem algum músico se apresentando, o que torna o lugar ainda mais romântico e especial. Sente-se na escadaria e aproveite para descansar as pernas.
 

Chegou a hora de ir até a Praça du Tertre, na Rue du Calvaire, onde dezenas de pintores se reúnem para apresentar os seus trabalhos, se você quiser levar um retrato seu de Paris o lugar é aqui.
 

Na praça também tem diversas opções de restaurantes, mas o preço pode ser um pouco além do que você está disposto a pagar, afinal é um dos lugares mais turísticos de Paris.
Se for o caso, siga um pouco adiante, até o restaurante Chez Plumeau, um espaço encantador, com mesas nas calçadas, que fica ao lado do Museu do pintor Dali. Super recomendo, tem ótimos sanduíches e o preço é justo.
 

O passeio ao Museu de Salvador Dali, também é divertido, com móveis e objetos que contam a trajetória do artista, que foi marcada pela irreverência.



Sofá em forma de boca, relógio derretido são alguns dos objetos que você vai encontrar por lá.

 
Antes de ir embora, retornamos a Rue Norvis, seguimos pela Rue Jean Baptiste até a Rue Ravignan e chegamos a Igreja de Saint Jean e, então, quando demos por nós estamos em frente ao Le Mur Des Je T’aime (O Muro dos Eu te Amo).


 São 1500 declarações de amor em diversos idiomas e a seguinte mensagem: “Se amar é uma desordem, então, amemos”.
Montmatre é Paris na veia. Romântico, irreverente e rebelde, além de muito charmoso.