quarta-feira, 2 de abril de 2014

Ô vento… me leve de volta a São Miguel do Gostoso

AMÉRICA DO SUL
Brasil - Rio Grande do Norte
São Miguel do Gostoso

Portal de Entrada de São Miguel do Gostoso
Por 10 dias, eu deixei casa, filhos e trabalho para me aventurar pelo nordeste com o maridão. Mais precisamente uma cidadezinha chamada de São Miguel do Gostoso, há cerca de 1h30 de Natal – RN.
A expectativa? Desligar do Mundo.
Resultado: Percebi que não queria me desligar do mundo, só de pessoas complicadas. Isso, eu consegui.







Praia do Cardeiro - Espetáculo da Natureza
Para começar a minha história, assim como eu, você pode nunca ter ouvido falar em Gostoso, por isso, vou contar um pouquinho sobre a cidade.
Conta a história, passada de geração em geração, que tempos atrás um morador hospedava em sua casa alguns viajantes. Após as refeições, ele contava “causos” marcados por longas e gostosas gargalhadas e por essa característica foi apelidado de “Sr.Gostoso”.
Por muito tempo, Gostoso foi usado como referência a esse local, até que tempos depois, um comerciante devoto do Arcanjo Miguel, prometeu que se ficasse curado de uma doença grave, construiria uma capela na cidade em homenagem ao anjo e assim aconteceu.
O nome São Miguel do Gostoso foi depois eleito pelo povo da cidade.

Gratidão por estar em um lugar tão lindo
São muitos os encantos desse pedacinho de chão ainda tão pouco conhecido pelos turistas, eu fiquei por lá durante uma semana e ficaria muito mais se eu pudesse.
Eu não pensei que diria isso, preciso confessar que tinha muitas ressalvas com relação a essa viagem. Mas, quando tem vento, as chances de fazer o maridão velejador mudar de ideia com relação ao roteiro é quase impossível.
Eu fui para essa viagem resignada. Voltei apaixonada!
O que me encantou nesta viagem foi perceber que o tempo pode andar mais devagar em alguns lugares. Se você reclama da falta de tempo, saiba que tem gente que o tem de sobra e sabe usa-lo com sabedoria.
No primeiro dia, eu ainda estava com o espírito da louca da cidade.

– O que tem para fazer aqui?
R: Caminhar na praia é uma delícia.

- Onde posso comprar um jornal, revista ou livros?
R: Aqui não tem isso não. Só na cidade vizinha.


Velejadores de Kite na Ponta do Santo Cristo

Imagine a minha expressão de terror, que só piorou quando entrei no chalé e percebi que faltava algo essencial:
- Não tem televisão, como eu vou dormir?

E, quando a noite chegou, eu e o meu marido, diga-se sem muita opção, começamos a conversar. Kkkk
Sabe o que aconteceu? Descobrimos que gostamos muito da presença um do outro. E gostamos de cachorro.
Nós só tivemos um cachorro: a Nina, que faleceu muito novinha e, depois disso, nós nunca mais tivemos outro animal. Sabe como é... Trabalho intenso, dois filhos combinados à paixão por viagens não sobra muito tempo.
Mas, em São Miguel do Gostoso nós éramos os donos do nosso tempo.
E foi ótimo porque eu pude me lembrar de todas as razões por ter me apaixonado pelo meu marido. Uma delas é o fato dele ser super fofo quando brinca com os cachorros.



SUP na lagoa, em frente à Pousada do Kauli


Maridão velejando na Lagoa Grande

Em São Miguel do Gostoso a comunicação com o mundo é feita através da internet. Portanto, não tive motivos para pânico. Mas, vou confessar: um dia depois da minha chegada, acabou a bateria do meu celular e ele permaneceu desligado até a minha volta.
Sabe por quê? Eu encontrei pessoas que gostam de conversar olhando nos olhos. E depois disso a rede social ficou tão sem graça...
Aliás, vou falar um pouquinho dessas pessoas que eu encontrei no caminho.
A Virna e o Eugênio, donos do Bodega, o café mais charmoso da SMG. Além disso, ele é professor de vela (windsurfe), enquanto ela dá aulas de Stand Up Paddle (SUP), ambos de Santa Catarina, pessoas de bom coração que sonham em ajudar as crianças carentes através do esporte.
No final da noite, após a janta, uma paradinha obrigatória para prosear com esse casal, que nos deu muitas dicas de onde comer bem, dividiu um pedaço de rapadura conosco para adoçar o nosso café e, no último dia, distribuiu flores perfumadas para todos que estavam com eles.
Os sortudos são donos de uma árvore linda e que dá flores perfumadas em pleno areião.



Capirinha Verde e crepe de carne seca na Madame Chita
Já que estou falando em café, não posso deixar de ressaltar os diversos restaurantes maravilhosos que tem em São Miguel do Gostoso. Eu não consegui ir a todos, então vou contar apenas sobre aqueles que eu visitei.
Os nossos preferidos foram: o La Brisa, com o seu saboroso “Arroz com Polvo”, servido em panela de barro. Dá água na boca só de lembrar. O dono é um senhor sério, de poucas palavras no início, mas que no final acabou batendo um longo papo como o maridão. Ambos velejadores, você sabe como é: os dois da mesma tribo.

Urca do Tubarão - Um lugar para ouvir vinil, recitar poesia e degustar cachaça
 Também fomos conferir a Pizzaria Quintal. Como o próprio nome já diz, a decoração é bem despojada, o chão de areia, mas tudo de muito bom gosto, principalmente a pizza. Conhecemos o pai do dono, um senhor aposentado, paulista, que decidiu viver mais próximo do sol. Conseguiu.
Outra loucura boa é o Madame Chita, de frente para a Praia da Xêpa, uma creperia incrível. Quando estiver lá prove o crepe de carne seca. Nós fomos duas vezes. A primeira nós chegamos sozinhos e depois, em outro dia, voltamos com um casal de alemães.
Aliás, eu, com o meu inglês “macarrônico”, tinha tudo para ter uma noite tremenda, mas não dizem que uma mesa bonita e com boa comida são garantias de sucesso? Pois é, funcionou para nós. Demos muitas risadas e tudo acabou bem.

Frente da Pousada Kauli Seadi - Praia do Cadeiro


Vista do nosso bangalô - Paraíso?
Nós ficamos hospedados na Pousada do Kauli Seadi, o top do esporte a vela, conhecido pelo programa no OFF, o Waterman. Um cara gentil demais. Ele e o meu marido são antigos conhecidos, mas não se encontravam há cerca de 20 anos. Uma pena que no dia seguinte ele e a noiva seguiram viagem para a Ilha Galápagos e não pudemos conversar mais.




Praia do Cardeiro - areia a perder de vista



Piscina Natural formada na maré baixa

A Pousada fica na Praia do Cardeiro, em frente a uma lagoa de água quente. Nós ficamos em um bangalô super arejado, teto alto, espaçoso, uma cama enorme e com uma vista incrível.
Depois eu entendi porque não tem TV no quarto. - Quem pode se lembrar de assistir TV neste cenário tão romântico?



As famosas labirinteiras
Quem me conhece sabe que eu adoro artesanato. E, lá em SMG, encontrei a comunidade do Reduto, onde vive um grupo de labirinteiras. Nunca ouviu falar? Pois saiba que labirinto é um tipo de renda muito especial.
E poder acompanhar o trabalho dessas mulheres, que tecem em frente as suas casas de taipa, de uma forma tão simples e rústica, me fez dar um valor ainda maior a essa arte.  



Museu formado com objetos doados pelos moradores
Por falar em artesanato, graças a essa paixão eu insisti para o meu marido me levar a um Museu chamado Casa de Taipa. Nós tínhamos visto uma plaquinha de madeira e decidimos conhecer. Para nossa surpresa, nós fomos parar em uma Pousada muito bacana, onde conhecemos o Rui.


Tradição - As panelas do feijão
O Rui é um dos sócios desta pousada, que abriga uma casa de taipa em tamanho natural, que reúne diversos objetos que contam a história dos moradores de São Miguel do Gostoso. Lá, uma vez por semana, ele prepara um feijão na panela de barro que distribui para os hóspedes e quem mais quiser.
A conversa com esse senhor amável, além do passeio ao museu e a pousada, foi um dos pontos altos do nosso passeio.

- Porque vocês decidiram morar aqui?
R - Nós viemos conhecer, mas decidimos ficar por causa do nosso cachorro.

Com esse desprendimento, ele contou que deixou para trás a vida de empresário de sucesso de uma multinacional, diretor, andava com três seguranças, para quando chegar a hora de sua morte poder dizer: morro feliz.  


Fim de tarde na Praia de Tourinhos


Despedida do Sol
Lugares bonitos em São Miguel do Gostoso? Ora, isso é fácil. Logo após a comunidade do Reduto fica a praia de Tourinhos. Eu assisti um pôr- do- sol inesquecível. Depois, com o dia ainda claro, nos jogamos no mar de água morna. Sem palavras.



Maridão participando da pesca com seu Tico
A praia do Cardeiro é um desses lugares encantadores. Lá, se der sorte, você poderá assistir os pescadores com suas redes de arrasto ou jangada lutando por seu sustento. O meu marido até ajudou o Seu Tico em uma manhã daquelas. Ele é dono de um restaurante, por isso, depois nós fomos conferir o resultado do trabalho com os instrutores do Clube do Kauli. Último dia de viagem, uma despedida em grande estilo!

Mergulho nos Parrachos de Perobas
Outro passeio que super recomendo é o mergulho em Parrachos de Perobas, é uma praia que fica na cidade vizinha, chamada Touros. As fotos já dizem tudo, mas posso tentar melhorar: água quente, na altura da cintura e uma infinidade de espécies de peixes e corais.
Além disso, a praia é um encanto e tem um senhor chamado Vôzinho, isso mesmo. Ele é dono de um restaurante nesta praia que você deve conhecer. É uma figura de uma prosa maravilhosa. Ele sempre morou por lá junto com a sua família e tem paixão pelo lugar.
Vôzinho se considera o homem mais sortudo deste mundo e garante que não tem inveja de ninguém na terra.

– Como pode o homem não ter fé em Deus depois de ver toda essa maravilha da natureza? Como pode o homem querer mais do que eu já tenho?

Jangadas na Praia de Perobas - Touros



Coqueiro se dobra a beleza desta paisagem
Tente imaginar você olhando para uma praia praticamente deserta, em boa companhia, saboreando um prato de lagosta super temperado. E o melhor: sem pressa de ir embora. Não é sonho. Isso existe.
Posso ficar contando e contando sobre como é bom chegar a uma cidade desconhecida e com tão pouca infraestrutura e sentir que lá tem tudo o que é preciso para ser feliz, mas prefiro que você descubra.
Vá com a bagagem leve e a mente aberta. Não tente reproduzir lá a sua rotina de casa, lembre-se que você está em São Miguel para se perder de você e depois voltar a se reencontrar.

- Olá, você não é aquela que só anda de chapinha no cabelo, maquiagem e diz que detesta areia e vento?
- Não. Essa pessoa é alguém com quem convivi no passado, antes de chegar a São Miguel. Hoje eu sou GOSTOSA! KKKK.