segunda-feira, 26 de maio de 2014

O pretinho que é um luxo

"Uma mulher precisa de apenas duas coisas na vida: um vestido preto e um homem que a ame", Coco Chanel

 
 
 Você já assistiu ao filme “Bonequinha de Luxo”, com Audrey Hepburn?

 
Há tempo que eu estava à procura desse clássico do cinema dos anos 60 e finalmente, no domingo, eu consegui assisti-lo.
Bonequinha de Luxo conta história de Holly Golightly (Audrey Hepburn), uma garota de programa nova-iorquina que está decidida a casar-se com um milionário.

 
Logo no início o filme mostra a cena em que ela aparece sozinha e deslumbrante (óóó) em um longo vestido preto, lindíssima, tomando café da manhã em frente à famosa joalheria Tiffany`s.  
A história é romântica e, no final, claro, fui às lágrimas. Não vou contar detalhes para que você assista.
Mas, para aguçar a sua curiosidade eu posso dizer que Bonequinha de Luxo apresenta Audrey Hepburn cantando Moon River, canção que faz parte da trilha sonora composta por Henry Mancini.

\
Eu não consigo imaginar outra música que seria tão perfeita.
Outro detalhe escandaloso de tão fantástico é o figurino de Audrey Hepburn, desenhado por nada menos do que Givenchy, estilista que é exemplo de sofisticação, com os seus vestidos pretos e formas limpas.

 
Aliás, eu não sei se você sabe, mas foi após o filme “Bonequinha de Luxo”, que o “Little Black Dress”, como ficou conhecido o “vestidinho preto” caiu nas graças do público feminino.
Não há como negar que é uma peça muito elegante e versátil e é perfeito para diversas ocasiões, mas antes de atingir o lugar de honra nos guarda- roupas, essa peça estava associado ao luto, e não era uma roupa bem vista pela alta sociedade.

 
O filme Bonequinha de Luxo derrubou de vez com todos os tabus que ainda podiam existir com relação ao vestido preto, no entanto, é preciso reconhecer que isso só foi possível graças à coragem da insuperável Coco Chanel.
Foi ela que transformou o preto no símbolo de sofisticação.
O vestidinho preto pode ser simples e básico, mas nunca falha.