terça-feira, 8 de julho de 2014

Pós- impressionismo - Liberdade em cores e tintas grossas

Paul Cézanne

Após a fase do impressionismo, quando os artistas passaram a pintar fora dos estúdios, surgiu uma nova fase: pós- impressionismo.Esse termo se refere às obras de vários artistas pioneiros que não compartilhavam estilos ou objetivos comuns.



A maioria teve forte influência do impressionismo, mas logo revelou um jeito especial de ver e sentir o mundo a sua volta.
Entre esses artistas, os que mais se destacaram foram:
Paul Cézanne,
Vincent van Gogh
Paul Gauguin

Georges Seurat

 Paul Signac
Henri de Toulouse- Lautrec
Esses artistas se afastaram do naturalismo do impressionismo e passaram a usar cores mais vivas, camadas grossas de tintas e pinceladas expressivas que enfatizavam as formas geométricas.
Vários acontecimentos marcaram essa época.
Van Gogh, o mais intenso dos artistas desta época, pintou “Noite Estrelada” e mais de 150 quadros. A história do artista é repleta de contradições. É possível acreditar que o mesmo homem capaz de cortar a própria orelha, após uma briga com Gauguin, um dia já tinha sido pastor?
Eu pude ver os quadros dele bem de pertinho, no Museu D’Orsay, e fiquei abismada com a forma como ele pintava: pinceladas grossas e muita tinta. Depois eu estive em Arles, passei em frente ao café que serviu de inspiração para a tela: “O terraço do café à noite”. Depois de concluir o quadro, escreveu ao seu irmão: “Aqui está – um quadro noturno sem ter usado tinta preta, somente azuis, violetas e verdes maravilhosos”. Van Gogh viveu na pobreza e morreu depois de disparar um tiro contra o próprio peito.

Gauguin tinha uma carreira bem sucedida como corretor da Bolsa em Paris, casou- se e teve 5 filhos. Durante uma crise no mercado financeiro, ele teve uma fase impressionista, mas ficou famoso pelas pinturas que fez durante o tempo em que morou no Taiti, na Polinésia. Entre elas a pintura chamada “A Lua e a Terra”. Como o seu desafeto, Van Gogh, ele também tentou se matar, mas não obtendo sucesso decidiu se unir a uma jovem italiana e morar nas Ilhas Marquesas. Quase foi preso por calúnia, mas morreu antes de cumprir a sentença.
Cézanne era filho de banqueiro, estudou na Suíça, mas o seu temperamento nunca se adequou ao estudo acadêmico. Ele se afastou de tudo e, sob a influência do pintor Camille Pissaro, passou a pintar paisagens ao ar livre e se concentrou mais na forma geométrica da natureza. Graças a sua herança, ele ficou rico e morreu em Aix- en- Provence (FR) depois de virar praticamente um mito para as gerações futuras.

Serraut, influenciado pelas novas teorias ópticas e das cores, pinta “Tarde de domingo na ilha da Grande Jatte”, uma obra que logo foi reconhecida como revolucionaria e introduziu o estilo pontilhista (a pintura é toda feita com pontinhos de cor) desenvolvido pelo artista. Ele morreu aos 31 anos, disseram na época que “suicidou- se de tanto trabalhar”.

Paul Signac foi o mais importante discípulo de Serraut. Os dois se conheceram e imediatamente ficaram amigos. Depois da morte de Serraut, ele se mudou para Sait- Tropez, onde criou várias pinturas da enseada.

Toulouse- Lautrec era o mais animado do grupo. A maior parte da sua obra, incluindo o “Moulin Rouge – A dançarina”, mostra os cafés boêmios, bordéis e casas noturnas de Montmatre, em Paris. O artista era um ótimo desenhista e inovou nas pinceladas rápidas, na ênfase nos contornos e na habilidade de capturar a espontaneidade das pessoas em seu ambiente de trabalho.