sábado, 13 de setembro de 2014

Las Vegas: A cidade onde tudo acontece (PARTE 1)

AMÉRICA DO NORTE

EUA - Nevada
Las Vegas


 E lá estávamos nós em Las Vegas, Nevada, a Capital Mundial do Entretenimento, dois caretas de meia idade, há muito tempo afastados das baladas noturnas.



 
Enquanto arrumava as malas no hotel no Panamá, eu fiz uma lista das coisas que poderia fazer na “Cidade do Pecado” e que tivesse a ver comigo que estou acostumada a programas mais tranquilos.

Por isso, decidi que substituiria os jogos nos cassinos por algum show ou caminhada pela Strip, como é conhecida a principal avenida na cidade, onde ficam os hotéis, cassinos e lojinhas mais luxuosas. O nome correto é Las Vegas Boulevard, mas ninguém se lembra disso.
E ainda planejei que ao invés de passear pelos hotéis (afinal, quem quer ficar olhando e babando?) embaixo do sol do deserto, eu iria as compras nos outlets, se era para suar a camisa que fosse por uma causa justa!
Seriam apenas 03 dias em Las Vegas, pouco tempo para que a cidade exercesse a magia dela sobre mim, certo? Errado, baby.
 
Quando nós chegamos ao aeroporto McCarran International Airport para pegar o carro que havíamos alugado já passava das 2h00, mas em Las Vegas a diferença do horário para o Brasil é de cerca de 4h00, portanto, eram 22h00, e as coisas já começaram a sair do controle.
Ao saber dos nossos planos que, além de Vegas, consistia em fazer um road trip pelos canyons e as terras dos índios navarros, o cara da Hertz nos ofereceu um camaro preto conversível por um preço incrivelmente tentador.

 
1ª tentação: Trocaríamos a nossa SUV careta por um carro super descolado? Confesso, que foi por muito pouco que resistimos a isso, o que nos segurou foram as bagagens que não cabiam no porta mala. Foi uma decisão difícil, mas sabíamos que as tentações estavam apenas começando.
Las Vegas é uma cidade singular, mas é a noite que ela realmente brilha.

 
Nesta noite nós ficamos hospedados no Hotel Cassino Stratosfhere, fica um pouco afastado do centrinho do agito, mas o quarto era espaçoso, o preço estava muito bom e só precisávamos de um lugar para dormir. Lá tem uma torre, com restaurante e alguns brinquedos radicais.
Por falar da localização, é importante saber que em Las Vegas todos os hotéis possuem estacionamentos free. É só chegar com o carro e procurar uma vaga ou deixar as chaves com o guardador. Tudo fácil, sem crise.

 
Na manhã seguinte, a primeira providência foi ir a Best Buy para comprar uma máquina fotográfica e registrar a viagem, depois dar uma espiada pelos outlets e na Ross – Dress for Less, onde comprei um sapato poderoso da Nica Ricci por apenas U$ 20,00.  O preço em Las Vegas não é tão tentador como em Orlando e Miami, mas ainda sim é melhor do que no Brasil. Nem todas as marcas estão nos outlets, a Victoria Secrets, por exemplo, só encontrei nos hotéis e na Strip.
 
Neste dia, nós nos mudamos para o Vdara Hotel & Spa, bem no buxixo. Por U$ 30,00 a mais, fizemos um upgrade e ficamos em uma suíte com a vista das águas dançantes do Hotel Bellagio.
As paredes eram todas de vidro, com cortinas automáticas, o espaço dividido entre cozinha, sala de estar, banheiro com closet, pias duplas, banheira e um camarim para maquiagem. Até a TV é personalizada. Ahhh, também tinha quarto, kkk
 
Vista da suíte do Hotel Vdara
Desculpe a empolgação, mas nunca tinha visto um quarto de hotel tão chique!
A meu ver, o fato do Vdara não ter um cassino é ponto a seu favor. Não gosto de acordar para tomar café e sentir o cheiro de cigarro que fica impregnado da noite passada. Outro fato é que não tem congestionamento na hora de guardar o carro.
O Vdara fica ao lado do Hotel Bellagio, basta pegar um elevador para estar neste mega luxuoso hotel. A recepção é decorada com um teto de flores de vidro, coisa linda. 






 


Além disso, possui um jardim decorado com flores maravilhosas, cujo tema muda a cada temporada.


Lá também está a Patisserie Jean Phillipe, e uma fonte de chocolate que mede 27 metros do solo até o teto, uma série espetacular de pequenas cascatas de chocolate, recheados com chocolate branco, negro e de leite. 

 
Na primeira noite, nós conhecemos o Buffet do Bellagio, enfrentamos uma fila de 20 minutos, mas super valeu. Não sou fã desses grandes buffets, mas esse eu recomendo. A comida é quentinha e o atendimento gentil. Existem muitas opções gastronômicas, mas o destaque foram as patinhas dos super caranguejos e os delicados docinhos. 


Eu lembro que, após o jantar, caminhamos até o lago em frente a esse hotel para assistir ao Show das águas dançantes. Começou a música do Titanic e as águas começaram a se mexer no mesmo ritmo, logo atrás dava para ver a torre do Hotel Paris Las Vegas, confesso que fiquei emocionada por estar ali.
 
 
Hotel Paris
 
A noite estava com temperatura agradável e saímos para caminhar sem rumo, encontramos pessoas do mundo todo, super chiques, descoladas ou seminuas, diversos artistas de ruas, dançarinos, mágicos, músicos ou apenas fantasiados para ganhar um troquinho.
 
Hotel Caesars
Quando eu percebi estava entrando e saindo de diversos hotéis: Paris, Bally’s, Cosmopolitan, Caesars, Aria, adorando tudo.
Quem foi mesmo que disse antes de ir à Las vegas que não via graça em passear pelos hotéis? Eu estava errada, esse é um passeio muito legal porque os hotéis possuem decorações temáticas, shoppings e oferecem vários tipos de entretenimento. 
 
 
Na segunda manhã da viagem eu cismei em tomar o café da manhã no Le Village Buffet, no Hotel Paris, e acertei porque o lugar é fabuloso. Parece uma vila francesa, com as comidinhas divididas de acordo com as regiões de origem: Normandia, Provence, Borgonha, Bretanha, entre outras.



Adorei tomar café direto do bule, já estava cansada dos cafés de máquina, sem falar no ovo poche, crepes e os croissants. Tudo delicioso. Lá nós compramos o Buffet of Buffet, por U$ 49, 99, dá direito de frequentar cinco buffets por 24 horas: Caesars Palace, Flamingo, Planet Hollywood, Rio e Paris. Durante o final de semana o preço é outro.


 
Em Las Vegas tudo foi criado para facilitar a vida dos turistas e fazer com que eles frequentem os cassinos. Na Strip existem esteiras rolantes ligando um hotel ao outro e elevadores. É possível andar, mesmo no verão, sem cansar demais.


Neste dia, véspera da nossa road trip, levamos o carro a oficina mecânica para trocar o fusível do conector do acender de cigarro (onde comecta o cabo do GPS) e paramos na AT&T para instalar o chip no celular. Tudo pronto para pegar a estrada até o Estado de Utah.

 
Nesta noite, nós assistimos no teatro do Bellagio o Espetáculo “O”, do Cirque du Soleil (U$ 170,50/ pessoa). O Cirque possui vários espetáculos em Las Vegas, como The Beatles Love, Zarkana, Kà, Believe, One, entre outros, mas o O é o mais concorrido.
Nesse espetáculo, os artistas se apresentam na água. Saltos impressionantes, contorcionismo, nado sincronizado e o show de palhaços que foi muito fofo. É romântico, doce e divertido. Quem escolhe as primeiras fileiras não tem como evitar se molhar.


Recepção do Hotel Venetian
Além disso, existem apresentações aéreas, por isso, aconselho a escolher as fileiras um pouco distante do palco para não ficar com dor no pescoço.



Que tal um passeio de gôndola?
No dia seguinte, antes de seguir viagem rumo ao Arizona, nós fizemos uma parada no Hotel Venetian, pelo nome já dá para perceber que o hotel é uma homenagem a cidade de Veneza, portanto, lá está a a réplica da Piazza San Marco, o belíssimo céu azul. Nós aproveitamos para experimentar o autênico gelato italiano,  no pequeno quiosque da sorveteria Cocolini.


Réplica da Piazza San Marco
 
O hotel é lindo e paramos por alguns minutos para ver os casais apaixonados passeando de gôndola. Mas, a surpresa foi encontrar a doceria do Buddy, a . Não resisti e comprei alguns docinhos para comer durante a viagem.
 
Carlo's Bakery
No Venetican fica a TAO - boate super badalada
Quando estive lá estava tendo o show do Snoop Dogg
No caminho para o Arizona, nós paramos na Barragem de Hoover Dam, no Lago Mead, considerada o maior projeto dos Estados Unidos, onde foi filmada uma cena do Super Homem, e eu ia pensando na conversa que tivemos com um senhor durante o voo entre o Panamá e Las Vegas.
 
 
 
Barragem de Hoover Dam
 Ele contava como tinha reinventado a sua vida após se aposentar como engenheiro eletrônico da área de radiação e iniciado uma nova profissão como criador de abelhas e produtor de mel.
O filósofo Mario Sérgio Cortella diz: “Ninguém nasce pronto e vai se gastando, você nasce pronto e vai se fazendo”, eu concordo com ele.
 

Quando eu cheguei a Las Vegas tinha muitas certezas sobre o que eu gostava ou não e depois percebi que na verdade estava acomodada no meu mundo, dali por diante decidi abrir a mente e viver um dia de cada vez e estar aberta para o que a vida colocasse no meu caminho.
Ainda voltaríamos a Las Vegas, mas agora era a hora de cair na estrada. By By Vegas.

 
Vídeo das águas dançantes do Hotel Bellagio:
 
Vista das águas dançantes a partir da janela do quarto do Hotel Vdara: