quarta-feira, 22 de outubro de 2014

17 anos - Uma idade X



Nesta semana, a minha filha completou 17 anos e pela primeira vez, de acordo com ela, está sentindo o peso da idade.
 Um peso leve e com gosto de liberdade.
Apesar de estar passando por uma fase estressante, preocupada com o vestibular e com a cabeça cheia de interrogações, por outro lado ela está esfuziante. Puro brilho.
E, em uma tarde qualquer, conversa vai e conversa vem...



- Mãe, engraçado, eu nunca pensei que me sentiria feliz ao completar 17 anos. Toda menina espera ansiosa para completar 15 ou 21 anos e esse nunca foi o meu caso. 17 anos é uma idade X.  
Idade X. Interessante essa ideia.

No meio da conversa, ela disse que estava sentindo que eu e o pai dela estávamos tratando-a de uma forma diferente, levando-a mais a sério e permitindo que fizesse coisas que antes seria impossível.
A princípio eu não soube direito o que pensar, mas eu senti que ela esperava mais de mim. Ela queria uma explicação.

- Você está pronta. Eu disse.
E completei com voz absolutamente segura:

- Em breve, você vai para a faculdade e terá que morar em outra cidade, longe de nós, e estou feliz porque eu sei que você está pronta para isso.
Claro, que não poderia deixar de alertá-la que a liberdade tem consequências, como ter que conviver com as suas escolhas e as cobranças da sociedade.
Espero que ela tenha compreendido o que eu disse, mas de qualquer forma ela terá um ano para se acostumar com a vida adulta.
17 anos é uma idade X. 18 anos já será outro papo.
Quando eu completei 28 anos, uma idade X para muitas mulheres, eu também me senti estranhamente diferente.  
Foi como atravessar uma fronteira e, a partir dali, eu comecei a tomar decisões pensando não apenas em mim, mas no futuro da minha família.
Eu senti o peso da responsabilidade que é ter filhos e educa-los para serem adultos felizes, livres e bondosos.  
Naquele tempo, eu teria gostado que alguém tivesse olhado bem para mim e dito em tom de absoluta confiança:

- Você está pronta.   

No início de um projeto de vida ou de trabalho surgem muitas inseguranças e, às vezes, a vontade é ficar parada em um lugar seguro. Nessa hora é fundamental ter ao lado pessoas que acreditam em nós e nos inspiram a ser melhores do que somos.