quarta-feira, 1 de abril de 2015

Ao amor da minha vida,



25 anos



Eu nunca pensei que fosse demorar tanto tempo para te encontrar, foram 15 anos separados, entre uma existência e a outra.
Hoje completa 25 anos, desde o nosso primeiro beijo.

Neste tempo, já está muito claro que não somos almas gêmeas, longe de mim querer alguém tão complicado quanto eu.

Somos almas complementares, você é tudo o que eu gostaria de ser e eu acho que já disse isso antes.



E eu sei que você sente o mesmo.

Nós somos diferentes, como o dia e a noite, mas nos encontramos sempre ao entardecer.
Com todo o afeto, eu peço um café e acho graça de ver você tomando leite com chocolate.

Não somos farinha do mesmo saco. Mas, de alguma forma deu liga. Uma química criada pelo cosmo para provar, talvez, que o improvável é o que dá sabor à vida.
E ele estava certo. Palmas para o universo que criou você, meu amor, perfeito para mim.

Não conseguimos conversar sem discordar.
Sinceramente, por mais que eu me esforce, às vezes eu acho você impossível.

Eu não entendo as suas razões, não compreendo porque você sempre está tão impaciente, mas entendo o seu coração.
Eu ouço a voz do seu coração. Eu sinto todo o amor que você tem por mim.

Eu me reconheço no seu olhar e vejo como sou uma pessoa muito melhor ao seu lado.
Vamos combinar agora que nunca nos perderemos um do outro. 

E, se isso acontecer, se eu me perder, siga a batida do meu coração que estará sempre colado ao seu e venha à minha procura.
Estarei esperando por você depois que o mundo acabar.