quinta-feira, 2 de julho de 2015

Jardim de Luxemburgo: onde se cultiva a arte de viver parisiense


Quando eu penso em como seria o paraíso sempre vem na minha lembrança o Jardim de Luxemburgo, na França.




Eu não sei se um dia eu vou conhecer o paraíso, mas caso isso não aconteça posso dizer que já estive bem pertinho dele.


Eu caminhava (ou flanava, como diz o pariesiense) pelo Boulevard Saint Michel e, acredite, eu não sabia que estava indo em direção ao Jardim de Luxemburgo até estar praticamente dentro dele.

Uau! Levaram pouquíssimos minutos até eu ficar completamente apaixonada pelo lugar.


A primeira coisa que eu vi foi um lago onde as crianças disputavam corrida de veleiro em miniatura.
O “Luco”, como é chamado carinhosamente pelos parisienses, com 22 hectares de canteiros floridos, árvores, lagos, é o maior parque público da cidade de Paris.



Atualmente o Jardim do Luxemburgo pertence ao Senado da França, que está sediado no famoso Palácio do Luxemburgo.



Lá também existe uma coleção exuberante de estátuas, uma delas de Maria de Médicis, viúva de Henrique IV.

A rainha morava na corte, que ainda ficava no Louvre, mas sonhava em viver no subúrbio camponês. Ela começou então a comprar os palácios que ficavam nesta região, dentre eles o do duque François de Luxemburgo.

Em 1611, Maria de Médicis decidiu construir neste lugar uma réplica do grandioso Palácio Pitti e contratou Salomon de Brosse como arquiteto principal.



No ano seguinte, a rainha ordenou o plantio de 2 mil ulmeiros e contratou especialistas em jardinagem para recriar os jardins que ela conheceu quando criança em Florença.



Nos poucos dias de sol do outono, assim como na primavera e verão, entre os turnos de trabalho, aulas ou passeios turísticos, os parisienses optam por comprar refeições e ir comer no jardim, onde o podem admirar sob a luz.


O Jardim do Luxemburgo é um dos pulmões na Rive gauche e lá se cultiva a arte de viver parisiense, uma mistura de natureza, de arte, de esporte, de descanso e de atividades lúdicas.



Entre as árvores, dá para ver as quadras de esportes, onde os atletas marcam encontro para jogar tênis, basquete, bocha... 
 

Como uma ótima atleta que eu Não sou, passei longe das quadras, rsrs.
Aproveitei para sentir toda a beleza do lugar e dar uma pausa na correria. Voltaria lá mil vezes.

Serviços:
Aberto todos os dias das 7:30 às 21:00
Entrada Gratuita