sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Dica de Livro – Só por hoje e para sempre, de Renato Russo (Diário do Recomeço)


Dica de Livro – Só por hoje e para sempre, de Renato Russo (Diário do Recomeço)

Só por hoje a para sempre, de Renato Russo, é um diário onde o artista escreve todo o seu processo de autoconhecimento, reflexão e busca pela vida ao mesmo tempo em que está internado na Clínica Vila Serena, no Rio de Janeiro, para tratamento dos vícios de drogas e álcool.


Para proteger a intimidade das pessoas queridas pelo autor, os nomes no diário foram substituídos por iniciais, mas todo o resto foi mantido na íntegra. Inclusive, algumas páginas apresentam até as correções no texto e os desenhos feitos pelo cantor, o que torna o material mais precioso.
Os textos reunidos no livro revelam um momento de recolhimento, o cantor estava "no fundo do poço", como ele dizia, devido à uma história afetiva saturada de relacionamentos autodestrutivos e a dependência química.

“Hoje não dá/ Vou consertar a minha asa quebrada/E descansar”, o trecho de sua música “Os Anjos”, representa bem esse momento da vida de Renato e está no álbum O descobrimento do Brasil, lançado meses depois dele ter deixado a clínica.

Assim como eu, acredito que todos que os jovens da década de 90, curtiram o som do Legião Urbana e um dia já dançaram loucamente a ritmo das suas  músicas, mas poucas pessoas conheceram a intimidade do vocalista da banda, Renato Russo.
As músicas eram como bombas revolucionárias, que explodiam em palavras que se não podiam ser racionalizadas, faziam todo o sentido para quem estava no auge da rebeldia e disposto a quebrar tabus e mudar antigos conceitos.

Apesar de toda rebeldia, o visual do Renato Russo, de óculos e sempre muito reservado, impunha uma barreira e evitava muita aproximação. 


Só depois de ler o livro, eu entendi que a cara amarrada do cantor servia como um escudo para protegê-lo do mundo exterior, pois era um cara extremamente sensível e cheio de complexos com a sua aparência, além de ser muito inseguro e carente.
Inclusive, o livro começa com uma carta escrita por Renato Russo para ele mesmo, onde no final assina: Seu Medo.
O livro permite que os leitores se aproximem da intimidade do Renato Russo, que poucos tiveram a oportunidade de conhecer. 
Eu não sei exatamente quando parei de acompanhar a banda, mas a verdade é que eu já não era uma grande fã quando o Renato Russo faleceu.
Para ser sincera, eu nunca tentei descobrir a causa da morte dele e só muito tempo depois fiquei sabendo que tinha sido mais uma vítima da aids, assim como Cazuza e tantos outros.
O tempo passou e, aos 40 anos, eu vejo os meus filhos cantado as músicas do Legião Urbana. Prova de que música de qualidade é atemporal.

As mensagens parecem ter sido escritas por alguém que está vivendo os conflitos atuais, corrupção na política, desentendimento de pais e filhos, entre outros temas que nas letras dele viraram poesia. 


No prefácio do livro, o filho do cantor, Giuliano Manfredini, afirma que guarda uma imagem forte do pai sempre sentado à mesa, no sofá ou numa poltrona preenchendo cadernos e cadernos com sua letra miúda e metódica.
Um dia, intrigado, ele conta que decidiu perguntar:
- Pai, por que você escreve tanto?
- Porque nos próximos 50 anos, Giuliano, as pessoas poderão saber o que eu sinto e penso hoje”, respondeu ele.

Renato estava certo.

Giuliano também afirma estar convicto de que o livro servirá de inspiração para quem busca forças para vencer crises pessoais das mais diversas origens e que, por isso, esses escritos inéditos não poderiam permanecer guardados com ele.
Só temos a agradecer por nos presentear com essa obra e esperar que, depois desse livro, venham muitos outros. Renato Russo nunca é demais.


Para encerrar deixo uma mensagem que o cantor escreve no livro: 

“Só por hoje e para sempre! Vamos ser felizes de novo!”.