quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Linda de Morrer



Está precisando rir e esfriar a cabeça? A dica é ir ao cinema e assistir a comédia “Linda de Morrer”, dirigida por Cris D'Amato. Não se anime demais porque está longe de se transformar em um clássico da telona, muito mais longe ainda de concorrer ao Oscar. Mas, é divertido.


O filme nacional conta a história de uma cirurgiã plástica Paula (Glória Pires) obcecada em descobrir uma fórmula para combater a celulite. Acreditando ter descoberto a substância ideal, Paula a injeta no próprio corpo e morre.
Certa de que a fórmula é responsável pela sua morte, com a ajuda de um amigo psicólogo/médium, ela volta a Terra e tenta evitar o lançamento do produto no mercado.
Além de Glória Pires, o elenco do filme é formado por Suzana Vieira, Viviane Pasmanter, Ângelo Paes Leme e Antônia Moraes.
Como na vida real, Glória Pires e Antônia Moraes interpretam os papéis de mãe e filha, uma dobradinha que acrescentou mais sensibilidade às cenas.
Não é preciso pensar muito para saber que a missão da empresária/ fantasma de impedir o lançamento do produto será muito difícil.

– Quem não gostaria de dar adeus às celulites num passe de mágica, neste caso, num passe de creme? kkkk

Assim que o produto é divulgado, as mulheres, inclusive as mais “certinhas”, correm para as farmácias dispostas a tudo para obtê-lo e acabar com as celulites.
Rapidamente o produto desaparece das prateleiras e começam os efeitos colaterais, como alteração do humor e olhos vermelhos de sangue. A mulherada fica possuída.


É engraçado porque não é real, né? Ainda bem! Caso contrário nós poderíamos estar falando agora de alguém como eu ou você.

Pense: - Se existisse um creme que prometesse milagres contra a celulite você compraria? Eu não preciso pensar muito para responder que sim. Sim!  

A busca sem limites pela beleza ideal é o tema central deste filme e, por isso, ele veio em boa hora, apesar da história ser um tanto absurda.
Não curto muito esse lance de fantasma, mas enfim...
É um alerta para nós que sonhamos em nos transformar em deusas da beleza sem fazer esforço, apelando para tratamentos alternativos e muitas vezes arriscados.
Um exemplo aconteceu, há pouco tempo, com a modelo Andressa Urach que quase morreu por ter aplicado hidrogel nas pernas para que ficassem mais grossas e definidas.  
Vamos combinar que a maior parte das mulheres gostaria de ter dois quilos a menos, pelo menos..., assim como ter os seios e a bundinha mais firmes, pernas roliças e barriga tanquinho.
Eu, inclusive! Adoraria acordar e, por um dia, ter o corpo e os cabelos da Gisele. Mas, isso nunca vai acontecer.
Simples assim: somos diferentes.
O problema, na minha opinião, não é querer ficar mais bonita. Sou a favor da felicidade. Se fizer plástica, botox ou o que for te fizer feliz, segue amiga!
A questão é outra: - O que somos capazes de sacrificar para manter a aparência, qual é o limite entre vaidade e a loucura?  
A nossa vida tem que valer mais do que uma bunda e um peito bonitos.  


Porque no final tudo vai apodrecer e ficará apenas o essencial. Com o tempo as pessoas não lembrarão mais da nossa aparência, mas da forma como tocamos os corações delas.
E tem que ser assim, pense: - Como você quer ser lembrada? Pelos seus peitos bonitos? O bocão? As pernas de arrasar quarteirão?

- A minha mãe tinha um bocão! Credo, não.

Eu vou preferir ser lembrada assim: - A minha mãe era feliz, adorava dançar e dava risadas escandalosas!
O que nós somos, a nossa essência, isso permanecerá na memória das pessoas que amamos.
Mas, muitas mulheres estão tão preocupadas com que o que os outros vão pensar sobre a sua aparência, que não dão valor para como as pessoas vão lembrar quando não puderem mais vê-las.    
Porque um dia todas nós vamos morrer, com celulite ou sem celulite.
Eu estou quase certa (não completamente, porque a esperança é a última que morre) de que as minhas celulites vão me acompanhar para sempre!
Amigas eternas! Até que os bichos nos comam juntas debaixo da terra.

E, eu penso: - E, daí? Se eu vou ter que conviver com as minhas celulites é melhor que a gente faça logo as pazes.

Foi assim que eu e as minhas celulites, finalmente, entramos em um acordo.

PS: Esse final ainda não acabou, se você conhece um creme milagroso contra a celulite me avise! Kkkk (brincadeirinha...ou não!).