segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Órfãos de Natal


O Natal não é uma época muito feliz para muita gente que eu conheço.  
Muitos se sentem como se fossem órfãos de Natal. 
Isso não significa que nunca tiveram ou participaram de uma festa de Natal em família ou que nunca ganharam um presente nesta data.
Ser um órfão de Natal significa nunca ter sentido o espírito natalino, que preenche de amor e paz todos que se reúnem nesta noite para celebrar o nascimento de Jesus.


Ao contrário, por razões diversas, o órfão de Natal ao pensar nesta data, apesar de todos os presentes que possa ganhar, ainda não consegue evitar sentir tristeza.
É um sentimento inconveniente porque não faz sentido se sentir desta forma quando tudo ao redor parece perfeito...
Mas, ainda assim não dá para evitar um sentimento ruim, como se a qualquer momento um Papai Noel com a cara do Freddy Krueger fosse aparecer e estragar toda a festa.
Eu tenho muitos amigos que consideram o Natal uma festa triste e ficam aliviados quando tudo termina.
Mas, o que o Natal tem que mexe tanto com os sentimentos das pessoas?
Será que é por causa da expectativa de que algo especial aconteça nesta noite, como o nascimento de uma nova e diferente forma de vida?  
A pessoa que um dia partiu não retornará porque é Natal.
Os erros não serão esquecidos porque é Natal.
A família continuará sendo a mesma seja no Natal ou em qualquer outra época do ano.
Então, a magia do Natal não existe?
Para tentar responder a essa pergunta, eu pensei em como as crianças amam o Natal.
Nos olhos brilhantes como que abrem os presentes e na ansiedade de sentarem à mesa para provar as comidas preparadas só para essa data.
Elas não fazem planos para depois da festa só querem aproveitar o melhor do momento.
E, ao viverem o presente com alegria e autenticidade, elas se transformam no próprio espírito do Natal.  
Esse ano, eu estou muito disposta a fazer a mágica acontecer na noite de Natal junto dos meus pais, tios, primos, irmãs, sobrinhos e cunhados.
Claro, que estou um pouco apreensiva. Pode acontecer tanta coisa errada.
Pode chover e todo mundo ter que ficar esprimido dentro de casa, sem lugar para sentar e começar uma briga de almofadas no sofá.
Pode começar uma discussão sem fim por causa de um presente mal escolhido, uma comida que tenha passado do ponto ou a bebida quente.
Talvez eu não consiga ter o controle sobre tudo e a festa terminar como a pior lembrança do Natal.
Eu posso me transformar em um Freddy Krueger das crianças da família, uma espécie de tia que estragou o Natal de todos.
Era para eu estar muito preocupada, mas por alguma razão estranha não estou.
Eu estou feliz. Espero apenas que todos venham à festa dispostos a mostrar que de fato se importam comigo e com a minha família, da mesma forma com que eu me importo com cada um deles.
Eu decidi acreditar que o Natal será uma data mágica.
Não fará toda a tristeza, desilução e perdas serem esquecidas, mas fará com que cada um de nós perceba que não está sozinho.
Veja onde está o seu coração e lá estará a sua família.
Faça a magia acontecer e ela acontecerá.

Feliz Natal!