quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Os mais belos castelos do Vale do Loire (FR)



A viagem mais romântica que eu já fiz foi para o Vale do Loire, na França, uma região encantadora, repleta de castelos, onde me senti como se estivesse vivendo um conto de fadas.
Vamos viajar?


É difícil escolher entre os castelos mais bonitos da região porque cada um tem o encanto, além disso, gosto é uma coisa muito pessoal. Portanto, o que descrevo aqui é a minha modesta opinião.

Um dos meus preferidos fica em Blois, uma cidade medieval, onde as ruas de pedras e uma escadaria levam ao Chatêau Royal, construído entre os séculos 13 e 17.
 

Esse palácio foi residência preferida de sete reis e 10 rainhas da França e também foi o local onde o Arcebispo de Reims abençoou Joana d'Arc, em 1429, antes que ela partisse com o batalhão para combater os ingleses em Orléans.
 
À noite, o castelo abre as portas e recebe os visitantes para o Espetáculo de Luz e Som. As pessoas sentam no átrio do castelo e, conforme as luzes iluminam as paredes, vozes saem de dentro do prédio para contar fatos importantes que aconteceram em cada cômodo. Muito bacana é um passeio que recomendo.

O castelo de Chambord é o maior da região e fica em meio a um parque arborizado, rodeado por um lago. Eu vi algumas pessoas andando de barcos ao redor do palácio e outras aproveitando as sombras das árvores para fazer um piquenique.


É um lugar muito agradável, difícil imaginar que o rei Francisco I só permaneceu nesse local por apenas 7 semanas no total.  


Esse castelo foi construído para servir como residência durante a temporada de caça, o mais chama a atenção é uma escadaria aberta em dupla-hélice que é a peça central do palácio.


Além disso, a quantidade de lareiras e o tamanho pequeno das portas sinais de que o lugar deve ser muito gelado no inverno. Dizem que Francisco I só permaneceu nesse local por apenas 7 semanas no total.  

Depois de um castelo imenso, que tal conhecer um petit château muitíssimo charmoso? O castelo Cheverny é pequeno se comparado com os últimos dois castelos, mas é elegante e tem uma decoração bastante rica e preservada.



Ele serviu de modelo e inspiração ao Hergé, desenhista belga das Aventuras de Tintim, o que torna o passeio especial para as crianças.  




O castelo há mais de dois séculos pertence à mesma família: os Harult, uma família de financistas e oficiais que se destacaram a serviço de vários reis da França. Membros desta família ainda moram lá, em uma ala à qual o turista não tem acesso.

Lá também tem a opção de fazer caminhadas por um bosque de árvores centenárias ou relaxar em um romântico passeio de barco.


Na cidade de Amboise, uma cidade encantadora, bem no centro histórico fica um castelo que impressiona pelo seu porte majestoso.
 
Entre os seus hóspedes ilustres, esteve o mestre Leonardo da Vinci, que foi levado à França pelo rei Francisco I e ali viveu seus últimos dias.



Ele atravessou os Alpes em uma mula, com alguns dos seus discípulos, e trouxe de Roma três das suas telas prediletas: Monalisa, A Virgem e Menino com Santa Ana e o São João Batista. O corpo de da Vinci está enterrado na capela do castelo. 

Quando estiver lá, vale a pena conhecer a casa onde Leonardo residiu nos últimos dias da sua vida, chamada de Clos Lucé.

Não vá embora do Vale do Loire sem conhecer o Chânteau de Chenonceau, também conhecido como Castelo das Sete Damas.


O castelo foi construído sobre o rio Cher, no século XVI, sobre o pilar de um antigo moinho fortificado.
 



A primeira dama ligada à família real a habitar o castelo foi Diane de Poitiers, a preferida do rei Henrique II. Quando o rei morreu, sua viúva, a rainha Catarina de Médici tomou o castelo para si. 

Lá, portanto, tem o jardim criado por Diane, com 12 mil m², e outro criado por Catarina, com 5.500 m². Você pode escolher qual é o mais bonito.



Lá também fica o quarto que abrigou outras cinco rainhas, duas filhas e três noras da rainha Catarina de Médici: a rainha Margot (esposa de Henrique IV) e Elisabeth da França (esposa de Phillipe II da Espanha); as noras, Maria Stuart (esposa de Françóis II), Elisabeth da Áustria (esposa de Charles IV) e Louise de Lorraine (esposa de Henrique III).

Aliás, um dos cômodos mais visitados do castelo é o quarto negro, em estilo gótico, de Louise de Lorraine, que depois do assassinato do marido retirou-se para Chenonceau. Ela ficou conhecida como a “Rainha Branca”, pois até a sua morte se vestiu de branco, cor que simbolizava o luto real.

Em Chenonceau também existe um espaço reservado à horta e as flores, que é aberto ao público. Outra atração é o labirinto italiano.

Eu pensei em entrar, mas fiquei com medo de me perder. E você, arriscaria entrar no labirinto?
Se você já conhece o Vale do Loire, conte para mim quais os seus castelos favoritos.

Gosta de Passear por Castelos? Leia também:

- Segredos da Realeza - Passeio por 4 castelos em Portugal