terça-feira, 24 de maio de 2016

O amor não é grande coisa



As pessoas esperam demais para demonstrar o seu amor, mas ele está nos pequenos gestos do dia a dia. Gestos que parecem sem importância, como deixar o melhor pedaço do bolo para a outra pessoa ou sair da cama em um dia frio para pegar um copo de água para ela tomar o remédio. Há poucos dias eu passei por uma situação que me fez pensar sobre isso e repensar as minhas atitudes.
O que faz você se sentir realmente amada? 

Ganhar joias, artigos de luxo e viagens surpresas... tudo isso é muito emocionante, mas essas coisas são provas de amor?
Para comprar qualquer uma dessas coisas é preciso ter dinheiro não necessariamente precisa ter amor.
Quantos casais viajam em lua de mel para lugares incríveis na tentativa de resgatar o romance e não conseguem?
Quantos maridos presenteiam a esposa com joias caras e carros recém- lançados na tentativa de disfarçar os seus casos amorosos fora do casamento?
Eu conheço vários casais que tentam disfarçar a falta de amor com presentes caros, mas isso uma hora perde a graça.
O que faz você se sentir realmente amada?
Eu me sinto amada quando vejo que uma pessoa sai do seu conforto ou do seu caminho, onde tudo está tranquilo e seguro, para fazer algo por mim.
Troca o seu mundo perfeito para ficar ao meu lado quando o meu mundo está totalmente de cabeça para baixo.
O gesto de amor não está na passagem de avião para Paris. Não está nas joias ou no carrão. Quem dá esse tipo de presente demonstra que tem dinheiro, mas demonstra amor?
O bom é quando existem as duas coisas, mas uma coisa nem sempre está ligada a outra.
O amor está nos pequenos gestos, como no cuidado na hora de escolher o destino da viagem, em saber a sua cor preferida e respeitar o seu modo de ser e de viver.
Quando me refiro ao amor, falo também de uma forma mais ampla. O amor romântico, o amor fraterno, entre amigos, entre pais e filhos...
Amor é quando um amigo cumpre o que fala e, apesar de não concordar sempre com você, mesmo assim não te abandona.
Um amigo de verdade é aquele que te defende, quando você não está por perto. Não é aquele que apenas empresta dinheiro ou compra cesta básica.
Isso muitas vezes só serve para demonstrar o quanto a pessoa que emprestou está bem e você está na merda.
Pense que muita gente doa as suas roupas, compra cestas básicas para ajudar instituições de caridade e até contribui com dinheiro para programas sociais.
Mas, elas estão comprometidas de verdade com as pessoas que serão beneficiadas com os seus gestos? Nem sempre. É mais comum que façam isso para aliviar as suas consciências do que como uma prova de amor ao próximo.  
Amigo é aquele que se você precisa de um emprego, por exemplo, ele liga e pede por você, não fala só da boca pra fora, mas se esforça de verdade. Sabe como é?
Ou um filho que troca uma festa com amigos para ficar em casa e cuidar da mãe que está doente ou apenas triste. Ou apenas porque ficar com a mãe é uma delícia.
Muitas vezes esperamos grandes acontecimentos para lembrar aos outros o quanto os amamos.
Esperamos o aniversário para comprar um presente ou ligar para colocar o papo em dia; esperamos um feriado para estar junto; esperamos o casamento para lembrar o quanto todos os momentos – da infância até a fase adulta – foram especiais.
No entanto, às vezes quem espera chega atrasado. O amor precisa ser alimentado por pequenos gestos do dia a dia, da presença nas festinhas da escola, do chá no meio da noite para acalmar a tosse, de abraços apertados, de beijos ingênuos, de andar de mãos dadas.
Às vezes um grande gesto só serve para demonstrar que existe um grande vazio na relação, que nem todo o dinheiro do mundo é capaz de preencher.
Ame as pequenas coisas e elas parecerão grandes.
Ame também as grandes coisas, mas sabendo que o valor delas não está em serem grandes, mas em todo o amor que elas contêm.