sábado, 7 de maio de 2016

Termas de Puritama: Um dia para relaxar no Deserto do Atacama



Depois de alguns dias no Deserto do Atacama, no Chile, você vai precisar reservar um tempo para relaxar e o melhor lugar para isso são as Termas de Puritama.
O passeio começa às 14h, eu já expliquei em outro post, mas vou repetir. Quando o passeio inclui entrar na água, ele é marcado para o período da tarde quando a temperatura é mais alta.
As Termas ficam a uma altitude de 3.500 metros e para chegar até lá é preciso percorrer um caminho por entre um cânion e demora cerca de 30 minutos.




Ao lado da estrada o que se vê é terra ou sal coberto de terra. Nenhuma árvore. No fundo, novamente, as montanhas e os vulcões que nos acompanham sempre.

A descida até as termas dá um frio no estômago, por causa das curvas estreitas. Da janela da van a sensação que é estamos à beira do precipício.

 No caminho, a van atravessa um rio de água morna. Ela tem essa temperatura por causa do encontro do Rio Purifica (água gelada) e do Rio Puritama (água quente).
O guia explicou que o primeiro rio vem das profundezas do vulcão Licancabur, enquanto o outro vem das profundezas do vulcão Sucancabur.
Quando chegamos ao local, encontramos oito piscinas aquecidas.


De uma piscina para outra caminhamos por uma passarela. As piscinas estão cercadas por uma planta parecida com "rabo de raposa", chamada “Cola de Zorro”.
 

O guia nos orientou a começar pelas piscinas mais distantes da entrada porque eram mais frias: 28 graus. E depois ir subindo.
Assim, no final da tarde, quando o sol já estiva mais fraco, nós ficaríamos na primeira piscina, que é mais quente, com águas a 30 graus.

 
As piscinas são rasas e algumas têm pequenas cachoeiras. Em uma delas, as pessoas estavam passando o barro do fundo da piscina no rosto.
Elas me disseram que tirava as impurezas e deixava a pele macia: na dúvida, resolvi testar e gostei do resultado. Pelo menos, ruim não ficou, rsrs.



O único momento em que a paz é ameaçada é quando as crianças começam a pular e a fazerem bagunça, se você não tiver no clima, basta mudar de piscina.
É um lugar para relaxar e fazer novas amizades. Lá conhecemos pessoas de diversos lugares do mundo e recebemos dicas sobre passeios.


É importante levar chinelo para não queimar os pés nas passarelas.
Outra dica: Quando saímos da água para mudar de piscina dá um frio danado. Por isso, se tiver um roupão, aconselho levar. Não esqueça também do protetor solar (sempre!), toalha de banho, água e lanchinho.

Nesta noite, nós jantamos na Pizzaria El Charrua. Muito boa!
As pizzas são servidas em pequenos pedaços de madeira, que substituem os pratos. Nós pedimos uma pizza pequena e pudemos escolher dois sabores. A massa é fininha e deliciosa, uhh... apenas não vendia bebida alcoólica. Tomei suco de framboesa.

GOSTOU? LEIA TAMBÉM