quinta-feira, 30 de junho de 2016

A arte escondida nas cidades




Viajar para muita gente significa relaxar a mente, desligar do mundo, enfim...
Comigo isso não acontece. Eu fico atenta porque não quero perder nenhum detalhe para depois escrever no Blog e dividir com você.
Não à toa escolhi a profissão de jornalista não é? Eu escrevo cada detalhe em um caderninho que escolho especialmente para a viagem. Quem me conhece sabe que adoro coleciona-los, rsrs.
Eu escrevo sobre os lugares, mas também detalhes como alguma conversa divertida ou uma sensação que eu tive em determinada situação. Fiquei surpresa ou assustada, senti frio ou calor, essas coisas.


Bem, já deu para perceber que eu escrevo pra caramba! Durante a viagem ao Chile, eu decidi trocar o velho e seguro caderninho pelo celular e quase enfartei quando vi desaparecer a pasta com todas as anotações. Nunca mais farei isso.
A tecnologia é uma coisa boa e tem lá as suas facilidades, mas o velho método do caderninho é mais confiável.  
O que faz com que eu descanse nas férias, portanto, não é deixar de escrever. Escrever pra mim não é apenas um trabalho, mas uma paixão.  
O que me faz descansar é deixar a mente livre e como uma boa virginiana ela vai direto aos detalhes. 


Eu passo a observar coisas que passariam despercebidas se eu tivesse na loucura do dia a dia, desenhos e colagens que estão quase escondidas nas paredes das esquinas, nas calçadas ou ruas.   
Ao observar esses detalhes, eu tento compreender o sentimento dos moradores com relação à sua cidade, o que eu costumo chamar de expressão das ruas.
A arte urbana não costuma seguir nenhuma regra, geralmente é uma atividade marginal que surge na calada da noite. 


Dessa forma, sempre gosto de pensar que esse tipo de arte é resultado da expressão de alguém que não consegue guardar o sentimento no peito e precisa coloca-lo para fora.
Uma urgência. Um impulso. Uma paixão. Uma verdade. 
A forma como esse sentimento é revelado ao mundo, as suas cores, formas e palavras me ajudam a sentir a cidade, ir além do óbvio.
Nas minhas andanças, eu tirei fotos de alguns detalhes que encontrei por diversas cidades, será que você os viu também? 
Veja mais alguns detalhes preciosos que encontrei pelas ruas de algumas cidades. 


 
"Cabeça da Arte" - Paris
Rua do Quartier Latin - Paris

"Somos reis de um país que não existe"
Ele em Paris procurando por...

Ela espera por ele, pacientemente, na Áustria

"Amar é uma desordem então amemos!"