quinta-feira, 14 de julho de 2016

Filme: Meu Amigo Hindu (2015)




Por Lenise Raplavschi 
Hector Babenco, diretor argentino e naturalizado brasileiro, faleceu hoje aos 70 anos e após 40 anos de dedicação ao cinema brasileiro. Era conhecido pelos filmes Pixote – A Lei do Mais Fraco, O Beijo da Mulher Aranha e Carandiru.
Coincidentemente, eu havia escolhido o último longa-metragem de Babenco para a minha dica desta semana: Meu Amigo Hindu, que está em cartaz no circuito nacional.
 

Diego, interpretado pelo norte-americano Willem Dafoe, é um diretor de cinema diagnosticado com câncer linfático terminal, cuja única chance de sobrevivência é se submeter a um transplante de medula óssea experimental, que apenas é realizado nos Estados Unidos. Antes de partir para Washington, Diego decide se casar e se despede dos amigos. Já no hospital, ele conhece um menino hindu de apenas oito anos, que também está internado. Logo Diego passa a vivenciar com ele aventuras fantasiosas, inspiradas no cinema, que ajudam a suportar a dura realidade que os cerca. 


Além disto, em seus delírios, encontra-se com o sr. Morte (Selton Mello), e ele expressa só um desejo: realizar mais um filme antes de morrer.
O filme retrata um episódio da própria vida de Babenco, ocorrido em meados dos anos 1990. E logo no início do longa-metragem um aviso: “o que você vai assistir é uma história que aconteceu comigo e conto da melhor maneira que sei”. 
Na minha opinião, o filme está longe de ser imperdível. Mas, para mim, é uma história atraente, talvez por ser um episódio real contado sem rodeios e que, em certos aspectos, pode se assemelhar ao vivenciado por muita gente. 


E, de alguma forma, a saída de Babenco do cenário cinematográfico justamente no momento de estreia de um filme que fala de sua batalha contra morte, adiciona uma nova dimensão à sua interessante e rica (cine)biografia! 


Gênero: Drama
Título original: Meu Amigo Hindu
Ano: 2015
Pais: Brasil
Duração: 124min
Diretor: Hector Babenco
Elenco principal: Willem Dafoe, Maria Fernanda Candido, Selton Mello, Reynaldo Gianecchini, Barbara Paz entre outros.