sexta-feira, 15 de julho de 2016

Mais uma lágrima, por favor.




Não sei como ela se instalou ali, mas de alguma forma estranha encontrou conforto e decidiu ficar. Desde então, convivo com uma forte pressão no peito, que me incomoda e me faz sentir dor.
A princípio eu pensei que estivesse com algum descompasso no coração, fui ao médico, fiz exames e me disseram que estava tudo bem. 


Depois, eu lembrei a história que o meu pai me contou sobre uma amiga que foi parar no Pronto Socorro pensando que estava grávida quando eram apenas gases.
Será que é o meu caso? Posso estar cheia de gases no meu peito que está causando uma forte pressão?
Ora, eu sou humana, por que não? Eu já recorri aos remédios, mudei a alimentação e tentei ficar em algumas posições bizarras. kkkk
Mas, a dor no peito não passou.
Então, eu pensei:

- E se for outra coisa? E se for o choro que tantas vezes eu reprimi dentro de mim?  

Desde então, estou trabalhando esta hipótese.
Eu tenho razão para pensar que pode ser isso. Eu engoli o choro muitas vezes.
Algumas vezes foi na marra para evitar que a minha tristeza se tornasse contagiosa e fizesse mal a alguém ou a um ambiente.
Mas, na maioria das vezes, eu guardei o choro dentro de mim para não demonstrar os meus sentimentos.
Eu nunca gostei de saber que sou tão sensível. Ah! Como eu queria ser mais forte para enfrentar os meus medos.
Mas, eu não sou. A verdade é que não chorei tantas vezes que eu queria ter chorado.
Ao contrário, o que eu fiz foi alagar o meu peito de lágrimas.  
Então, quando após um dia cheio de compromissos, eu apago a luz do quarto para dormir, sinto essa forte pressão e tento lembrar qual foi à lágrima não derramada que agora está cobrando o seu preço.

- Será que foi quando segurei o choro na despedida do meu tio?
- Será que foi quando, pela primeira vez, deixei a minha filha em Campinas e voltei para minha casa sem ela?
- Será que são às lágrimas das tantas decepções que eu tive no meu trabalho?
- Ou é o choro pelos meus medos, minhas frustrações e fraquezas que, todos os dias, com teimosia, eu transformo em sorrisos?

Escrever também é forma de fazer análise, pelo menos no meu caso. E, relendo agora as minhas próprias palavras, penso que eu possa estar sofrendo de um caso de “Choro no Coração”.
Existe sopro no coração, se ele respira porque não pode chorar? Estou quase certa que o meu chora.
As lágrimas represadas podem ter provocado uma enchente no meu coração.  
As dores podem ser apenas a força da água provocando mudanças internas, mudando um sentimento bobo por outro mais bobo, alterando tudo pra me fazer chorar.
Eu não sei se faço sentido agora, talvez esteja parecendo maluca, não sei.
Mas, eu tenho tentado chorar mais vezes e isso tem provocado bons resultados. Continuo a sentir uma forte pressão no meu peito, mas quando eu choro me sinto um pouco melhor.
Hoje, pela manhã, por exemplo, fechei os olhos e as lágrimas saíram. Foi tão espontâneo, que custei a perceber o que estava acontecendo, apenas fiquei quieta e deixei as lágrimas rolarem.
Se fosse outro tempo, com certeza tentaria disfarça-las, mas apenas deixei que as lágrimas fluíssem e banhassem o meu rosto.
Fiquei quietinha, apenas sentindo muito por ter represado tanta coisa dentro de mim. Eu estou arrependida por ter criado toda essa confusão dentro do meu peito.

Eu estou arrependida por ter preenchido os meus espaços vazios com lágrimas, quando deveria ter preenchido eles com outras emoções menos dolorosas.

Eu deveria ter aprendido há mais tempo que chorar faz bem. Agora eu tenho lágrimas e mais lágrimas dentro de mim.
Hoje eu choro as minhas dores, as dores dos personagens da TV ou as dores da gatinha da esquina de casa que se perdeu da mãe.
Hoje eu choro ao ver o mar, ao sentir o calor da mãozinha do meu sobrinho na minha ou ao ouvir uma música bonita na rádio.
Eu sinceramente estou disposta a pensar que o meu corpo desistiu de obedecer a minha mente, ao perceber que estaria prestes a se afogar em lágrimas e agora transborda e transborda.
Se eu me sinto assim, talvez você também se sinta.
Por isso, quero convidar a todos que sentem vontade de chorar a fazer isso. Vamos colocar pra fora as lágrimas que estão guardadas dentro do peito.

Vamos chorar até lavar o mundo com as lágrimas das nossas mais sinceras emoções!
Quem sabe nós diminuímos a pressão que existe no mundo e podemos viver e dormir sem dor.