terça-feira, 5 de julho de 2016

Viajar com o filho pequeno: O que esperar?


Viajar com o filho pequeno é uma oportunidade de enxergar as coisas mais simples e corriqueiras, que normalmente não daríamos importância, com um novo brillho, como se tivéssemos olhando tudo pela primeira vez.
É observar o ritmo da música que toca no restaurante, se alegrar com a fachada colorida de uma loja, fazer passeios ao ar livre, olhar o céu para ver se tem nuvens de chuva e observar a variedade de flores e animais silvestres que existem na grama da pracinha.
Fazemos isso muitas vezes com o objetivo de entreter ou proteger a criança, mas com isso somos levados também a nos conectarmos com um mundo cheio de delicadezas.  


O interesse de uma criança pequena não é o mesmo do adulto. Por isso, olhar a primeira vez a Torre Eiffel, em Paris; a estátua de Davi, em Florença, castelos e pontes podem não ter o mesmo impacto sobre ela, pelo contrário.  
Com isso, somando o seu olhar com o dela, as impressões sobre cada dia da viagem ficarão mais ricas de detalhes.
No entanto, para que isso aconteça e seja uma experiência feliz para todos, é preciso se organizar antes de escolher o destino das férias da família.  
Primeira coisa é ter em mente que a criança quando é pequena ainda não aprendeu a disfarçar os sentimentos, esse verniz social tão comum aos adultos ainda não faz parte da vida do seu filho.
Se ele estiver com fome, cansado ou sentindo algum desconforto não vai disfarçar e isso poderá terminar em choros, gritos e outras cenas dramáticas, que deixariam Shakespeare espantado.
Por isso, antes de decidir o destino da viagem, pense com cuidado se esse é o lugar ideal para visitar com uma criança pequena ou se é melhor aguardar um pouco mais, quando o seu filho estiver com idade para compreender a situação. 

Se você puder, escolha um lugar onde o clima seja agradável para fazer passeios ao ar livre e com opções de lazer para o público infantil.
Cheia de energia, a criança não consegue ficar parada e só observando a menos que esteja cansada, entretida ou doente.
Claro, que a programação do dia não precisa ser direcionada apenas para agradá-la, mas intercalar uma visita ao museu com um piquenique no parque é bem- vindo e muito aconselhável.

Depois de escolher o destino da viagem da família é hora de pensar em como chegar até lá sem que isso se transforme em caos e termine com você toda descabelada e desconjurando o dia em que decidiu viajar com o seu filho pequeno.

A criança geralmente não tem paciência para ficar por muito tempo em um lugar fechado. Por isso, se tiver opção faça a escolha pelo meio de transporte mais rápido para chegar logo ao seu destino.
Se não for esse o caso, hora de separar o kit sobrevivência: Brinquedos, comidinhas, pequena farmácia e roupas para troca.
Além de todos os apetrechos úteis para um bebê: cadeirinha, trocador, carrinho, banheira. (PS: Eu vou confessar que não levava banheira e muitas vezes dei banho nos meus filhos nas pias dos hotéis), etc e tal.

Além disso, escolha roupas confortáveis para a viagem porque você provavelmente terá que se sentar no banco de trás do carro durante parte do tempo.
Se o seu filho já tiver 02 aninhos pra mais, o kit de sobrevivência deverá incluir alguns equipamentos eletrônicos, uma pequena TV no carro para assistir os filmes preferidos dele, celular com joguinhos e outros. 

Depois de escolher o destino das férias da família e decidir qual será o meio de transporte, hora de estudar o percurso.
Se a ideia é ir de avião, tente programar a viagem para o horário da manhã quando todos costumam estar mais descansados, se a criança ficar agitada ou chorar você não se sentirá tão constrangida por estar incomodando outro passageiro que deseja dormir. 


Avise a companhia aérea que estará viajando com uma criança, em alguns casos, são reservados lugares e comidinhas especiais para elas.
Mas, se você for viajar de carro, uma dica é procurar no Google Maps alguns lugares à beira da estrada onde vocês possam parar para respirar o ar livre, deixar a criança queimar um pouco a energia e também fazer alguma refeição.
Você vai ficar feliz por ter feito isso quando a situação começar a sair do controle.
O sucesso da viagem dependerá e muito de um bom planejamento. Com criança pequena é bom esquecer essa história de aventura.
Deixe para fazer isso quando os seus filhos já estiverem maiores, com criança pequena cada detalhe precisa ser pensado com antecedência.

Vai estar frio? Tem previsão de chuva? Todo mundo meio que se preocupa com a previsão do tempo quando vai viajar, mas quando isso inclui um bebê essas respostas são ainda mais importantes.

Você não vai querer ficar correndo na chuva com o seu filho no colo, não é?
Se a criança ficar doente, com febre ou resfriado também será grande a chance da sua viagem ir por água abaixo.
Mas, será que tudo pode ser previsto? Eu acho que não. Existem situações que, mesmo com todo planejamento, não saem como planejadas.
Nem sempre os pais podem contar com a ajuda de familiares ou escolher o período em que vão sair de férias, por exemplo. Nestes casos, não há alternativa se não levar as crianças pequenas para lugares com pouca infraestrutura, com o clima pouco amigável e preparar-se para todo tipo de imprevisto.


Prepare-se, por exemplo, para ver o seu carro novo se transformar em um lugar onde você não gostaria de estar por causa da bagunça e da sujeira. Não apenas de comida, mas também para o cheiro de fraldas sujas e até vômito.
Para abrir mão de alguns passeios a restaurantes (na Europa nem todos aceitam crianças), museus ou fazê-los em horários alternativos para que o seu filho possa acompanha-lo com disposição e alegria, o que evitará muitos aborrecimentos.
Quando estiver vivendo essa situação, ajuda muito lembrar que o principal da viagem é se divertir e isso não significa ter que visitar todos os pontos turísticos da cidade na velocidade de um maratonista. Afinal, eles sempre estarão lá para você. 


Se o dia amanheceu com chuva ou o seu filho pequeno está com dor ou exausto, não pense duas vezes na hora de rever a programação da viagem.
Uma coisa que eu sei por experiência é que vai chegar uma época em que o seu filho já não vai querer ou poder acompanha-lo nas viagens e você sentirá saudades de toda essa confusão.
Lembre-se disso e aproveite para conhecer o mundo pelos olhos dos seus filhos porque é uma experiência única e encantadora.