sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Devagar se vai...à praia do Jabaquara!



Até o mirante da praia dos Barreiros nada de surpresas, a não ser a linda vista
Por Andressa Rodrigues 

Assim como nossa querida colunista Isabel Galvanese, eu adoro andar de bicicleta! Não sou tão experiente (ainda) como ela, mas me aventuro de vez em quando. Pedalar, para mim, significa unir o útil ao agradável, ou seja, praticar uma atividade física e conhecer lugares novos. Mas fazia tempo que eu não encarava um desafio de pedal. Por conta de dores lombares que tive, mais a recuperação, deixei os esportes um pouco de lado. Confesso que estava com medo de voltar e sentir as dores de novo. Precisei de um tempo para mim...
No último dia 17 de setembro eu venci totalmente esses medos! Topei o convite do amigo Alonso e fui, junto com meu marido Rogério, até a praia do Jabaquara, em Ilhabela, de bicicleta! Foi minha primeira experiência sob rodas tão longa e cheia de “obstáculos”. Amei!
Para quem não conhece, a praia do Jabaquara fica ao norte da ilha. É a última praia, aliás, daquele lado que é possível chegar de carro. São 22,5 Km de trajeto partindo da balsa, na Barra Velha, sendo que os últimos 8 Km são de estrada de terra.

Quando vi essa placa e a estrada de terra pensei, por um segundo, em desistir
Eu moro aqui no Litoral Norte há 14 anos, mas não conhecia ainda o Jabaquara, acredita?! E detalhe: também não sabia da distância que teria de percorrer para chegar até lá! Quando o Alonso nos fez o convite só disse que teríamos de andar entre asfalto e terra, que haveria muitas subidas, mas que até próximo do horário do almoço estaríamos de volta. Ele se baseou nele próprio ao fazer essa previsão, pois frequentemente faz essa pedalada. Já eu e o Rogério...
Até o Mirante da praia dos Barreiros, pouco depois da Vila, não era novidade para nós dois. E também nada cansativo. A aventura, portanto, começou a partir daquele ponto. Perdi as contas de quantas subidas encaramos! Quando acabou o asfalto, uma placa (não muito animadora) anunciava: Jabaquara - 8 Km (ainda). Confesso: naquela hora pensei em desistir! Mas respirei fundo e disse: “Já estamos aqui, né!?”. Então seguimos em frente e mais incontáveis subidas (e que subidas!) surgiram pelo caminho. Lógico que parei várias vezes, empurrei a bike em alguns trechos, perdi o fôlego em tantos outros, mas, a cada momento, a sensação de alegria, satisfação e conquista me enchia por dentro e eu retomava a coragem. 

Ufa, chegamos!
Levamos cerca de duas horas e meia para chegar até a praia. Que alegria foi sentar na areia e respirar satisfeita! Mas quando lembrei que tinha todo aquele caminho para voltar pedi ao Rô e ao Alonso para irmos embora logo. Não queria deixar o corpo esfriar e a disposição ir embora. Retomamos, então, rapidamente o fôlego e partimos para mais duas horas e meia de pedalada.
Chegamos em casa já no fim da tarde - bem longe do horário do almoço. Além da satisfação de “dever cumprido”, eu ganhei de volta a coragem e não temo mais as dores! Graças às aulas de pilates e ao treinamento funcional (que voltei há cerca de dois meses), minha recuperação está completa! Que alegria! 

Praia do Jabaquara  
Para quem gosta desse tipo de aventura, recomendo a ida ao Jabaquara de bicicleta. Eu e meu marido pretendemos voltar lá e também estamos listando outros locais aqui da região para desbravar sobre rodas. Aceito sugestões!

Obs.: Queria fotografar trechos do caminho, em especial das subidas, mas não consegui pensar em mais nada a não ser em pedalar, respirar, pedalar... Fica para a próxima!