quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Viagem a Grécia: Rodes, a ilha do sol

Outubro é um mês de renascimento, de conquistas e de alegria para mim. É o mês do meu aniversário e para comemorar, nada melhor que uma bela viagem.
O maridão não podia me acompanhar como sempre faz nas minhas viagens para celebrar a vida. Então aceitei o convite de uma amiga-irmã e me mandei para a Grécia. Foram duas semanas de puro prazer. É difícil resumir em apenas um post as emoções vividas em três ilhas e na capital Atenas. Vou começar apresentando um pouco da ilha do sol, Rodes.


Voei da Arábia, país em que vivo atualmente, para Atenas e de lá para Rodes, onde encontraria minha amiga que tinha saído do Brasil. Juntas iríamos visitar uma antiga amiga brasileira que vive em Rodes e aproveitar para conhecer suas belezas.
Optamos por fazer três ilhas e fechar nossa trip em Atenas, nos locomovendo de uma ilha para outra de barco. Compramos os tickets diretamente nas agências de cada ilha, pois de avião valia o triplo do preço. Um cruzeiro nos limitaria para conhecer e absorver a intensidade de cada povo, pois os navios ficam apenas algumas horas nas ilhas, sendo que cada ilha tem suas peculiaridades.
Apenas com o convívio de pelo menos dois dias pode-se absorver um pouco da cultura de cada uma delas. Fiquei triste quando ouvi de uma amiga que ficou apenas 3 horas em Myconos, sem oportunidade de aproveitar as lindas praias e a badalada vida noturna de lá. Foi como sentir o aroma do vinho sem poder degustá-lo.
Se você chegar em Atenas, pode checar no aeroporto as informações sobre os ferries que partem do Porto de Pireu. Das duas companhias que utilizamos, Seajet e Blue Star 2, preferimos a Blue Star 2, que nos ofereceu um excelente serviço de bordo, com poltronas confortáveis, bons restaurantes e até cabines com carregadores de celular, como nos aeroportos.

Fiz esta foto do mercado velho e do forte desde uma janela do Palácio dos Grandes Mestres, na cidade medieval de Rodes
Rodes é a maior e mais imponente ilha do Dodecaneso, fascina pelas lindas praias de águas azul-turquesa, muitos vales, rochas e, claro, como em toda Grécia, muita história. Situada pertinho da Turquia, com 80 km de extensão, é conhecida como a cidade do sol e também pelo Colosso de Rodes, estátua que foi erguida entre 294 a 280 a.C. em homenagem a Hélios, o deus do sol da mitologia grega. Tinha cerca de 30 metros e 70 toneladas. Hoje existem somente duas colunas no porto de Mandraki, o que chega a decepcionar alguns turistas, mas favorece a que realmente se conheça a história do Colosso, que é bem interessante.

Chegando de barco e nos maravilhando com a a cidade medieval de Rodes

Colosso de Rodes na Antiguidade
Porto de Rodes: aqui vemos o que restou do Colosso, que é uma das sete maravilhas do mundo

A antiga cidade da ilha, situada ao norte, cuja construção começou em 407 a.C., foi projetada pelo maior urbanista da antiguidade, Hipódamo de Mileto. Rodes logo tornou-se um dos centros marítimos e comerciais mais importantes no Mediterrâneo oriental. A parte medieval da cidade é a capital da ilha, Patrimônio Mundial da Unesco, chamada pelos gregos de Palea Poli. Você vai se sentir em um labirinto, rodeado de lojas e restaurantes, que resgata a atmosfera do Império Bizantino. Rodes recebe visitantes o ano inteiro porque a maior parte do ano tem um clima ensolarado. 

Palácio do Grande Mestre 
 
Acrópole com o imponente templo de Apolo


Além de curtir as águas do lindo e limpo Mar Egeu, também vale a pena mergulhar na cultura, através da história das civilizações passadas. Além disso, em contraste com o antigo, há uma vida noturna bem animada, com tabernas e bares que funcionam até tarde da noite. A cidade oferece apoio em turismo especializado para passeios de barco às ilhas vizinhas, mergulhos, caminhadas e muitas outras atividades. Você encontra assessoria rápida diretamente na rua da praia, no centro da cidade, onde os gregos puxam nossos braços para oferecer algo.

Com a simpática grega dona da Aromaterie Kos, onde compramos perfumes franceses maravilhosos com um toque especial grego
Apesar de ter me deparado com muitos garçons curtos e grossos, sem aquele chamego que só encontro no povo brasileiro, a dona desta loja e outros comerciantes me tiraram a má impressão da antipatia dos gregos.

Stin yamas! Tim tim!
Entre um passeio e outro, uma parada para molhar a garganta com as delícias gregas. As cervejas Alga e Mythos foram as mais consumidas.



Pita é um churrasco grego encontrado em qualquer esquina. Na Arábia também existe o mesmo prato com o nome de Shoarma. Vindo de lá, onde é proibida a carne de porco, me deixei levar na pita de porco, que pode ser servida no prato ou enrolada em forma de sanduíche. Uma boa pedida para um lanche rápido por cerca 5 euros.

Será que estávamos felizes à beira da praia de pedrinhas?
Para explorar as belas praias da ilha, você pode alugar um carro. Observei que o trânsito é viável e as rodovias são bem seguras. Também pode optar por ônibus, táxi ou barcos. Ao contrário das ilhas de Mykonos e Santorini, não vi muitas motos ou quadriciclos por lá.


Aqui uma placa que você encontra nas praias, indicando o valor dos táxis para cada lugar

Tivemos a sorte de estarmos hospedadas em casa de amigos locais, que nos transportaram para vários lugares da ilha. No segundo dia da viagem, seguimos para o sul, para conhecer a linda praia de Lindos. Esta praia nos surpreendeu com uma visão mágica de casinha brancas, contrastando com uma baía azul-turquesa. A paisagem é predominantemente montanhosa, o que acentua o destaque para a acrópole, que foi construída sobre uma rocha íngreme de 116 metros, com uma vista espetacular do mar. Vale a pena a caminhada.
Após a bela caminhada cultural, exploramos a aldeia, cheia de lojinhas, onde aproveitei para me presentear com um vestido típico grego, para usar no meu aniversario que se aproximava. E por que não, me sentir uma deusa nesta terra mitológica. A atmosfera estava perfeita e me remetia a um maravilhoso aniversário grego. 

Praia de Lindos, em um dia de final de temporada de verão
Visitamos a acrópole em uma linda caminhada para conhecer o Castelo dos Cruzados, dentro da cidade dos dórios, pisando em ruas com mosaicos de pedrinhas, igrejas, lojinhas de artesanato locais, etc. Você também tem a opção de subir no cangote de um burrinho, e assim pode economizar seus suspiros para as lindas paisagens que encontra pelo caminho. Nossos amigos ficaram chocados pelo preço cobrado para visitar a acrópole (16 euros). Comentaram que há dois anos o valor era menos de 5 euros.


Dentro das muralhas, a reconstrução do templo de Atenas, túmulos bizantinos e a fortaleza
Gostamos tanto de Lindos que a visitamos por duas vezes nestes quatro dias. No primeiro dia fizemos uma visita mais rápida, guiada pelo marido da nossa amiga, que nos apresentou também a bela baía de Saint Paul, que tem um centro turístico para mergulho, dois restaurantes convidativos à beira d' água e a pequena capela de Saint Paul, onde o apóstolo Paulo rezou a primeira missa na Grécia.

Amei este cantinho, que fica a apenas cinco minutos da bela Lindos, mas senti falta das lentes fotográficas do maridão para registrar o maravilhoso azul desta água  

Voltamos para a cidade desviando da rodovia para entrar nos pitorescos vilarejos, que me chamaram a atenção pela alegria e dinâmica do povo local. Vimos muitos gregos sentados em tabernas nas praças, tomando frapé, um tipo de café gelado, ou ouzo, a cachaça local, deixando suas mãos deslizarem pela mesa de um jogo parecido ao gamão, e com a boca vibrando em sons alegres.
Esse cenário não apresentava sinais da crise da qual ouvíamos falar que se passava na Grécia. A personalidade do povo me lembrou muito aos brasileiros. Vivem o aqui e o agora, aproveitando do melhor que o lugar tem a oferecer, onde reinam o sol, a alegria e as belezas naturais.
Se você for a Rodes, não deixe de visitar as praias de Kamari, Faliraki e Pefkos. São muito bonitas e nos fizeram suspirar também. 


Após 4 dias de lindos passeios numa ilha que nunca esteve em meus antigos planos, mas que muito me surpreendeu, nada melhor que um brinde em agradecimento aos nossos queridos anfitriões, Eva e Antonio. Deixamos a certeza de que este é um lugar para se voltar. Da próxima vez iremos com nossos digníssimos companheiros. 

Para terminar, nada melhor que mergulhar nas águas cristalina de Lindos, sem esquecer das belezas das cores da nossa terra!
Pensando em ir a Grécia? Não deixe de consultar as dicas da Virna Lize, do blog Uma brasileira na Grécia. Ela pode oferecer uma assessoria fantástica com turismo e fotografias. Pena que só a encontramos no último dia em que estávamos por lá.