segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Exposição Santos Devocionais – o barro com fé, de Stela Kehde


“Explico essas formas com simplicidade porque a fé também é simples”. Essa frase é da ceramista Stela Kehde ao se referir às obras que integram a sua Exposição Santos Devocionais – o barro com fé, que ficará até o dia 20 de janeiro na Galeria Arte no Litoral, no centro histórico de São Sebastião. 
Eu fui convidada pela curadora da mostra, Rosângela Dias Ressureição, para o evento de abertura que ocorreu no último dia 11. 



Mas, antes disso, eu já visto o catálogo das imagens e o fato delas delas não terem um rosto definido tinha chamado a minha atenção, considerei misterioso e intrigante. 
Isso me levou a pesquisar sobre essa mostra, que já foi apresentada em diversos museus e pinacotecas, e descobri que o objetivo da artista era criar formas que permitissem ao imaginário pessoal ver o sagrado. 


Na abertura da exposição, eu tive a oportunidade de conhecer a ceramista Stela Kehde e entender um pouco mais sobre o universo imaginário por trás das imagens. 
A primeira pergunta que eu fiz a Stela foi se era uma pessoa religiosa e frequentava muito a igreja. Ela me respondeu que não, mas sido inspirada a criar essa exposição quando as peças surgiram em sua mente e ganharam formas. 


O primeiro trabalho que chamou a minha atenção durante a visita foi um módulo com imagens de Nossa Senhora em tamanho bem pequeno. Essas imagens ficam penduras por fio transparente em uma base que na verdade é uma peneira usada em construções. O trabalho surpreende pela delicadeza da proposta. 


A Stela me explicou que esse módulo foi à primeira peça criada para a exposição. Ela começou a fazer as imagens em tamanho bem pequeno, no formato que coubesse nas mãos, quando um dos seus filhos ficou doente e ela sentiu necessidade de ter um santinho assim para acompanha-la a todos os lugares. 


A Nossa Senhora cabe direitinho em uma das mãos e são peças únicas, muito delicadas.
Antes de se formar em artes plásticas pela Unesp, Stela fez faculdade de química e também trabalhou como paisagista. Nesta exposição, ela une todos esses conhecimentos.
O seu lado alquimista aparece na forma como experimenta os mais diversos elementos durante a criação e a queima das cerâmicas.
Isso contribuiu para que surgissem peças em cerâmicas bem interessantes, como a Nossa Senhora da Areia Santa e a Nossa Senhora Retorcida. 



Já o seu conhecimento de paisagismo aparece na forma como expõe as suas peças, algumas ficam dentro de vasos, redomas e outras são colocadas em suportes rodeadas por pedrinhas e areias.
Ela me contou que gosta de recolher esses materiais na cidade onde é feita a exposição, como uma forma de agradecer pela acolhida e valorizar a beleza do lugar. 

 
Enquanto observava a exposição, eu percebi que uma série de imagens tinha “bolinhas no rosto” e perguntei se tinha sido proposital ou se foi algum problema durante a queima. 
A Stela me chamou a atenção para o nome que estava perto dessa série de imagens: “Nossa Senhora das Lágrimas Sagradas” e me contou que as cerâmicas escolhem os seus nomes. 



Eu também fiquei curiosa para saber a história por trás das imagens emparedadas no tijolo.
Em um pequeno espaço dentro desse material tão comum e rústico se sobressaem lindas imagens de santos.
Quando eu vi essas peças, me lembrei do que a ceramista tinha dito: “a fé é simples”. Isso sintetiza bem a proposta da exposição. 


Mas, não é só isso. A Stela depois me contou que essa ideia também faz parte de outro projeto que busca incentivar os seus alunos a criarem pequenas imagens de cerâmica, que caibam no espaço interno de um tijolo e expressem o seu momento de maior fé.
Deste trabalho, ela conta que já surgiram ideias incríveis. Logo, logo, quem sabe, a artista plástica terá material para uma nova exposição.
Ter a oportunidade de conversar e conhecer a Stela Kehde fez com que eu tivesse um novo olhar para a sua obra. Por isso, escrevo para compartilhar um pouco desse universo com você.
Assim, além de apreciar a beleza das cerâmicas, poderá compreender melhor toda história por trás delas e os sentimentos que as envolvem. 


A mostra Santos Devocionais – o barro com fé já foi vista em várias cidades, onde tem levado muita gente a se reconectar com o divino.
Além de poder olhar, tocar e sentir os santos criados por Stela você poderá adquirir a maioria das peças.
A Fé é simples. E será simples também se encantar com essa exposição.