quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

De repente 40 (parte 1)

Por Andressa Rodrigues

Pôr do sol em São Tomé das Letras (MG)
Ao olhar o calendário esses dias notei que daqui quatro meses completarei 40 anos de vida! Caramba... O tempo passou muito rápido!
Daí me lembrei de um filme chamado “De repente 30”. No longa, a personagem Jenna (interpretada pela atriz Jennifer Garner) faz um pedido inusitado em seu aniversário de 13 anos. Por sentir-se impopular entre os colegas de escola, ela deseja ter 30 anos de idade num passe de mágica

Jenna, então, entra num armário, faz o pedido e ao sair de lá se depara num outro lugar e com um corpo bem diferente. Depois de uns minutos confusa com as mudanças, a personagem percebe que seu desejo foi atendido. Num piscar de olhos, ela chegou à idade que sonhava; e a história se desenrola com as descobertas do mundo adulto.
Ah, o mundo adulto! Precisou que meus 40 batessem - de repente - na porta para eu cair na real em muitas coisas. Esse mundo tem tantas armadilhas!
Achei que para conseguir “vencer” era necessário adotar uma postura rígida, séria, sem moleza. Claro que colhi ótimos frutos, mas ganhei também algumas dores. Perfeccionismo, ansiedade, autocobrança, noites de insônia, pânico...
Mas o grande barato de “amadurecer” é perceber que podemos mudar alguns hábitos e renovar atitudes. Não quero me deparar, de repente, com 50 anos sofrendo ainda dos mesmos males. Cansei!
Assim, comecei, aos poucos, a abandonar velhos vícios. Tento quebrar a rotina do dia a dia, incluindo atividades “nada a ver”; procuro não anotar TUDO na agenda, afinal minha memória ainda é boa para lembrar-me que toda terça e quinta tenho aula de Pilates, por exemplo; evito fazer listas e listas de afazeres (num papelzinho solto) que, por razões desconhecidas, não se limitavam somente à agenda; vou à academia quando tenho vontade, e não mais por obrigação auto-imposta; e o mais importante, assim como o mais difícil: estou aprendendo (e exercitando) a dizer alguns NÃOS.
Sei que o caminho ainda é longo, mas tenho certeza que alcançarei meus novos objetivos de vida. Termino 2016 com um sentimento enorme de gratidão por tudo que já conquistei e também com uma vontade inspiradora de renovação. Mas nada de pressa ou pressão. Um dia de cada vez. E em abril de 2017 quando, de repente, os 40 chegarem, a passagem para essa nova fase da vida será suave, plena e com coração cheio de paz.