quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

A poesia revelada nas Biojoias dos índios Krahô



Nesta semana, a LojaEncantes começou a vender as biojoias, confeccionadas pelos índios da etnia Krahô, habitantes do cerrado brasileiro, do nordeste do Tocantins.
A poesia deste trabalho está na habilidade de se comunicar com as coisas e através delas. Coisas não são meros objetos, elas têm vida. Dar forma é vida.


Os colares (hõkrexêxà), gargantilhas (hõkrexêxàpej), brincos (hapac to impej xà) e pulseiras (ipahkà) são biojoias feitas por mulheres com linha de tucum ou nylon (fitxê), sementes de tiririca (acà), cabeça de formiga (hômjĩre hy), sororoca (pãmrehy) e miçangas (kẽnre).
A coleta e o processamento dessas matérias-primas são realizados por homens, mulheres e também crianças da aldeia, configurando uma produção familiar.


Para divulgar as peças nós fotografamos a bela Luíza Outi, no bairro São Francisco, um dos lugares mais bonitos de São Sebastião, cidade do Litoral Norte de São Paulo.
Quando a Luíza soube que parte da venda será revertida para compra de novos artesanatos da aldeia, ficou muito feliz em participar da campanha. E nós, claro, comemoramos essa decisão!
As biojóias estão fazendo um grande sucesso, como imaginávamos. Mas, muita gente ficou curiosa para saber como as peças vieram até nós. 

- Vocês foram até a aldeia?
- Ah! Bem que gostaríamos, mas ainda não conhecemos a aldeia, mas está nos nossos planos para os próximos meses.  

Quem nos apresentou as biojoias foi o ceramista Carlo Cury.
Ele havia feito o curso Sonidos de América em 2015 e, em 2016, foi com o fotógrafo Renato Soares para uma vivência sobre fotografia na aldeia Santa Cruz do povo Krahô, localizada no município de Itacajá, TO.


Durante a vivência, o Carlo ofereceu à presidente da Associação dos Krahô, a índia Maria José Capé, repassar o curso dos sonidos, já que este povo é muito musical, mas não tinha a cultura da cerâmica.
Junto com a ceramista Cláudia Canova, ele ensinou o povo da aldeia a fazer apitos de cerâmica, que podem se traduzir em mais uma fonte de renda. Essa troca de conhecimento criou um vínculo entre os ceramistas e os índios.


Quando o Carlo retornou para sua casa no Litoral Norte, trouxe consigo as biojoias, com o objetivo de vendê-las e reverter à verba para compra de novas peças da aldeia Krahô.
Depois que nós nos conhecemos, o Carlo decidiu confiar essa linda missão a nossa equipe da Loja Encantes.  
Estamos seguindo em frente com a sua proposta, de preservar e divulgar a cultura deste povo Krahô, que foi praticamente dizimado devido o avanço das frentes agropecuárias, mas que aos poucos, com muita luta, está conseguindo reverter esse cenário.  
E agora você também pode ajudar a garantir um futuro digno para esse povo, adquirindo as biojoias, veja como são lindas: http://www.lojaencantes.com.br/biojoias-ct-195ff7