sexta-feira, 21 de abril de 2017

A responsabilidade e a liberdade

Por Giobert M. Gonçalves


Na astrologia, representamos o arquétipo de comprometimento e responsabilidade a Saturno e o arquétipo de reforma e liberdade a Urano. Saturno é o último planeta que pode ser visto a olho nu e Urano é o primeiro dos planetas modernos já não mais visíveis no céu. 
A responsabilidade de Saturno pode ser interpretada como uma limitação, afinal, todos nós não queremos muitas responsabilidades sobre nossos ombros, não é mesmo? A obrigação de cumprirmos nosso papel na sociedade e sustentarmos uma imagem pública pode ser um peso. Após isso vem o que? A vontade de jogarmos tudo para o alto: Liberdade! E aí entra Urano que, da mesma forma que não pode ser visto a olho nu, seus conceitos também são sutis. O conceito de liberdade é sutil! Ser livre? Como? O que é ser livre?
Antes de entrarmos no próximo parágrafo, cabe aqui uma explicação. Aos planetas modernos, Urano, Netuno e Plutão (que mesmo tendo virado planeta anão continua a dar sua voltinha no céu...), foram dados significados olhando os fatos que aconteceram no período de sua descoberta. Assim como no passado ter sido a observação que revelou as características dos outros astros.
Urano foi descoberto em 1781 e um dos fatos marcantes dessa época foi a Revolução Francesa (1789 a 1799) – Liberté, Egalité, Fraternité. Assisti ao filme Maria Antonieta de Sofia Coppola e é impressionante a cena em que ela e o rei, Luis XVI, jantam aos brados de uma turba revoltada às portas de Versailles. Dramático ou não, o filme mostra a liberdade descontrolada! Até hoje ainda estamos tentando entender como a liberdade funciona!
Eu penso que, astrologicamente, se Saturno vem antes de Urano, então a responsabilidade vem antes da liberdade. Não há liberdade sem responsabilidade. Um paradoxo? Nós ainda estamos aprendendo sobre liberdade, portanto, é natural errarmos (e errando se aprende).
No Mapa Astral, é interessante perceber a relação entre esses dois planetas e avaliar quais os critérios de responsabilidade e liberdade que cada indivíduo possui. Me liberto cumprindo minhas obrigações ou cumpro minhas obrigações livremente? Em que contexto age meu comprometimento e onde eu busco liberdade?
A relação desses dois movimentos pode resultar em uma vida equilibrada e harmoniosa, afinal, não há liberdade sem responsabilidade. Simples assim!