sexta-feira, 30 de junho de 2017

Preguiça

Por Giobert M. Gonçalves


Preguiça, preguiça, preguicinha. Onde me leva? Você já ficou assim com preguiça de fazer qualquer coisa? Quem não, né? Quando temos tempo ocioso, nada melhor do que aquela preguiça acompanhada de uma boa espreguiçada e mais um momento na cama.
Mas nem sempre podemos nos dar ao luxo de ficarmos na preguiça e, temos que levantar e fazer o dia render. Como você fica nesses dias? Eu fico me arrastando, fazendo as horas serem mais compridas do que elas são. De você olhar para o relógio e ainda nem passou cinco minutos. E como fazer quando isso acontece? Primeiro passo é identificar que tipo de preguiça é.
Se for do tipo curtideira, é melhor transferir para o dia que pode ficar curtindo. Não tem jeito não, é jogar lá para o domingo, quem sabe. Essa até dá pra levantar da cama porque é preguiça boa, preguiça que um soneca no alarme já resolve. Você levanta sorrindo e segue o dia.
E tem a preguiça culpada. Aquela de quem ficou assistindo o programa até mais tarde. Culpa da TV que fica no quarto, ela fica fazendo barulho, chamando a atenção ao invés de chamar o sono. O programa estava tão bom... Mas é só dar um pulo! Sim, levantar de um pulo só e já sair pra vida.
E a preguiça meu amor? Essa preguiça é de casal: levanta amor! Toma banho primeiro? Aí você me chama? Vai lá... É uma preguiça que dá segurança, nem preciso desconfiar que não irei ouvir o despertador – o môzão, me acorda! Mas é preciso ser gentil nessa preguiça, um dia de um e outro dia de outro.
A preguiça noturna é aquela que você tem que levantar pra fazer um pipi a noite. Aí que preguiça! Nem abro os olhos e nem acendo a luz. Claro que só levanto depois de uma hora de enrolação, quando a bexiga já vai explodir. Essa preguiça é masoquista, gosta de sofrer. Sento no trono e quase durmo. No calor é mais fácil, mas no frio é um desafio.
A preguiça noturna II é a da responsabilidade. O choro começa e já vem o alerta, mas tudo de olhos fechados. Você se pergunta: é a terceira vez que ele chora? Essa não tem jeito, vou ter que abrir os olhos para ver se está tudo bem. E aproveito pra namorar aquele serzinho e aí vale a pena. Mas revezar com o papai é bom.
Aí começa a preguiça negra, a da insônia. Seja por qual motivo você não conseguiu dormir, ficou rolando na cama, você fica extremamente cansado e acorda com muito despertador, justamente no momento que conseguiu dormir. É horrível, pode confessar, a gente levanta azedo e só com muita reza. E essa preguiça perdura irritada durante o dia todo. Cuidado para não chutar o cachorro.
E por fim, a mais terrível das preguiças: a ómaigóde! A vida está péssima, parece que tudo dá errado, a fase não passa e a preguiça vai se acumulando. Não é mais só de levantar, é de tudo na vida. Essa pode deixar você abatido, caído mesmo e chamar de depressão.
De todas as preguiças, as duas últimas é preciso tomar muito cuidado. As outras, um café forte, uma sacudida no esqueleto, um alongamento resolve. Mas a negra e a ómaigóde é preciso de auxílio profissional e de muita atenção.
Para tudo existe uma solução. Pode ser boas conversas com um amigo que você confia e que saiba ouvir, pode ser um bom profissional que te orienta ou utiliza técnicas específicas para você sair desse estado.
Pode ser que seja a hora das férias, pode ser que esteja na hora de delegar, pedir ajuda. O que não pode é ficar na preguiça. Então, se você conhece alguém que está assim seja o amigo, se você esta assim permita que alguém te ajude, manifeste a necessidade. A preguiça é boa quando dá prazer e não quando dói.