quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Você construiria um exército de terra para se proteger?

O 1º imperador da China, Qin Shi Huangdi, planejou para si uma imensa necrópole subterrânea composta por salões e outras estruturas cercadas por muralhas e portões.
O complexo era “protegido” por um gigantesco exército com mais de 8 mil figuras em terracota, com soldados e cavalos em formação de batalha.
A idéia é realmente impressionante. Me lembra um antigo provérbio cristão: O homem nasce do pó e ao pó retornará.
Mas, na época da construção do exército de terracota Cristo ainda não tinha nascido.
A utilidade das figuras, nem consigo imaginar o motivo, deve ter tirado o sono de muitos estudiosos.
Recentemente, surgiu a teoria de que o famoso Exército era usado para treinar guerreiros de carne e osso. Será?
Enfim, essa história ainda está longe do fim.
Imagine, nem sequer a tumba do imperador foi aberta, apesar de ser visitada por milhares de turistas diariamente.
Os arqueólogos testaram o uso de robôs para entrar nela, por medo de destruir os tesouros, mas desistiram.
Parece que essa preocupação é recente, pois menos de cinco anos após a morte do imperador a sepultura foi saqueada.


As armas de verdade, as lanças de bronze e espadas que estavam em poder do exército de terracota sumiram. Os arqueólogos reconstruíram algumas figuras, mas outras foram deixadas aos pedaços.
Apesar de não ver muita vantagem em um exército de terra, é impossível não ficar impressionada com as figuras. Não é a toa que o exército de terracota foi considerado a 8ª maravilha do mundo.
As figuras são pouco maiores que o tamanho real, sendo que os oficiais são mais altos do que os soldados. A maior delas tem 1,86 m.
Por ordem do imperador, nenhum rosto se repete, os escultores aplicaram traços individualmente, como orelhas e narizes.
Quando novas, dizem que as esculturas tinham cores vibrantes, bem diferente do cinza monótono de hoje.