quarta-feira, 16 de março de 2016

Espaço para o amor


Eu dei carona para uma amiga essa semana e conversamos sobre as dificuldades enfrentadas por um casal de namorados quando se casa ou decide morar junto.
Isso não é nenhuma novidade, mas como ela disse: Saber que é difícil, não torna o processo menos doloroso.
No caso dela, está sendo particularmente difícil se acostumar com o fato de que não está mais sozinha e que todos os seus planos precisam incluir outra pessoa.
Nas pequenas equações do dia a dia é que moram os grandes dilemas, não é?

Algumas decisões como o lado da cama em que cada um vai dormir, quando os dois gostam de ficar do lado mais próximo da janela. Decidir entre assistir TV até mais tarde no quarto ou desligar porque outro gosta de dormir em silêncio. Fazer faxina no final de semana ou ceder o apelo para ir a praia...
Essas coisas bobinhas quando acontece uma ou duas vezes é até engraçado..., mas quando repetidas por dias, semanas ou meses... ufa!
Quando se trata de relacionamento, eu acho que cada casal encontra uma saída para que essas pequenas crises não sufoquem o amor.
Depois que eu me despedi da minha amiga, lembrei uma situação real, que passei há pouco tempo.
A minha filha, no início deste ano, passou a dividir o apartamento com dois amigos. Ela não foi a primeira a se mudar para a nova casa e quando chegou já tinham algumas coisas no lugar.
Ela teve que improvisar e dar uso diferente para alguns móveis e, em alguns casos, precisou vender o que tinha por falta de espaço ou porque não era mais necessário.
Esse foi o momento dela abrir espaço para uma nova vida.
Quando digo espaço não me refiro apenas a lugares no apartamento, mas espaço dentro dela.
Porque tudo começa dentro da gente, a partir de uma decisão muito íntima sobre o quanto estamos dispostos a ceder de nós para o outro.
Existem situações em que ceder é totalmente impossível, principalmente quando vai de encontro aos nossos valores e princípios.
Mas, todo o resto pode e deve ser negociado porque é assim que, aos poucos, duas pessoas se transformam em um casal e uma casa se transforma em um lar.
E, se tem algo que o casamento tem me ensinado é que existem muitos caminhos para transformar um relacionamento em um casamento e uma casa em um lar, no entanto, o mais suave se chama delicadeza.