segunda-feira, 25 de julho de 2016

A difícil arte da conquista


Eu estava no salão de beleza, distraída, lendo uma revista, quando uma conversa fisgou a minha atenção.
A cabeleireira estava contando para a cliente sobre um rapaz que conheceu através de um site de relacionamento na internet.
- Ele era bonitinho, a conversa estava interessante...
- Sobre o que conversaram?
- Ele disse que adorava astrologia. Perguntei qual era o seu signo e me respondeu que era touro, eu disse que o meu era libra...
- Touro e libra combinam?
- Até combinam, mas o que não combinam são os móveis da casa dele. Um horror!

Eu que já estava seguindo a história, não agüentei a curiosidade e decidi me intrometer. Quem me conhece sabe que não resisto a dois assuntos: astrologia e decoração.
- Desculpe, qual era o problema com os móveis?
 - Os móveis eram feios, com aspecto de coisa barata e pobre já basta eu!. Ela respondeu quase chocada por eu ter feito essa pergunta quando a resposta era tão óbvia. Óbvia pra ela, claro!
Mas, decidi me calar. Fiquei com um pouco de pena do rapaz, tenho certeza que nunca parou para pensar na aparência dos seus móveis.
A difícil arte da conquista...
A conversa continuou e ainda fiquei sabendo de outro encontro virtual da minha colega.
Dessa vez, o problema não eram os móveis, pelo contrário, ela ficou empolgada ao ver que atrás do rapaz tinha uma verdadeira biblioteca.
“ - Culto, certamente teria uma boa conversa, seria um daqueles homens calmos e que gostam de ficar em casa”. Ela disse.
Esses comentários foram surgindo baseados no cenário em que o rapaz se encontrava.
 Não sei se o namoro virtual evoluiu ou se parou em algum outro cômodo da casa, nunca se sabe...
Imagine se um dia o desavisado resolve levar o computador para a cozinha e a pia está suja?0
– Nossa, que preguiçoso! Ela vai pensar.
Ou se em um ataque de dor de barriga, quando o papo estiver quente, decide levar o computador para o banheiro?
– Ai, que porco, sem chance! Ela vai torcer o nariz.
Se por um acaso o namoro evolui e, em sinal de intimidade, leva o computador para o quarto e lá está pendurado um pôster do Guns N' Roses.
– Super desatualizado! Ela não vai perdoar.
Enquanto eu ouvia a história no salão de beleza, reparei que nem por um minuto foi mencionado sobre uma característica que poderia tornar esses rapazes pessoas interessantes, como o tom da voz, o sorriso, uma covinha, o cabelo desalinhado, o jeito estabanado de movimentar as mãos...

E, assim eu pensei, talvez ela não esteja procurando apenas por alguém que a ame.
Mas, que também lhe ofereça estabilidade e segurança.

Mas, isso não é amor?