quinta-feira, 20 de abril de 2017

As muitas vidas que existem em Zandoná


Uma senhora de cabelos presos na altura da cabeça, saia florida, chamou a minha atenção por sua pose graciosa e um ousado batom vermelho.
Ela me seguiu com o olhar, sempre com a mão no queixo, como se quisesse me perguntar alguma coisa.
Eu a encontrei enquanto visitava a Exposição Projeto Origens – Negros, do grupo Ubuntu, e foi amor à primeira vista.
 
Foi quando descobri que a minha nova amiga era uma das personagens criadas pela ceramista Zandoná.
O tempo passou e finalmente eu pude conhecer a mulher que guarda dentro de si tanta imaginação para criar todos aqueles personagens.
O nosso encontro foi em grande estilo, uma recepção calorosa!


Logo na entrada da casa tem um enorme forno à lenha feito de barro dando às boas vindas aos visitantes.


Depois seguimos por um corredor de árvores e flores. Paramos para prosear embaixo de um pé de acerola...
Observamos o belo cacho de banana

E esse trio de passarinhos de cerâmica que enfeitavam o jardim
Até que chegamos a uma varanda, onde a artista e a sua nora nos receberam com suco com frutas colhidas no seu jardim e um delicioso bolo de milho cremoso. 


Foi uma recepção de dar água na boca e aquecer o coração, rsrs.
Eu logo notei uma sala com um altar budista, religião praticada por Zandoná há muitos anos, mas os meus olhos estavam ansiosos por outra coisa... 

Peças que ainda não tinham ido para o forno e estavam expostas no ateliê
Nesta hora, nós entramos na sala onde Zandoná guarda as suas peças de cerâmica.
Lá eu encontrei bijuterias, luminárias, vasos, utilitários e os famosos bonecos, que lhe trouxeram reconhecimento como artista.
Não resistimos e separamos algumas peças para a #Loja Encantes.
A maioria dos personagens de cerâmica representa gente simples, mas enquanto eu observava a minha sensação era de já ter visto aqueles rostos em algum lugar.

http://www.lojaencantes.com.br/pd-443b9a-boneca-de-ceramica-na-cor-verde.html?ct=181593&p=1&s=1
A pescadora e seu vestido verde

Ela poderia ter se inspirado em uma amiga, um pescador que encontrou na praia ou em casal apaixonado na novela.
 
Dona Rosa, um charme de luz



- Zandoná, esses personagens existiram de verdade? 

Ela respondeu: 

- Não. Eles estão todos dentro de mim.


- Você sabe quantos bonecos você já criou? 

Após pensar um pouco, Zandoná respondeu com um sorriso meigo: 

- Eu já perdi as contas.

Como pode alguém ter dentro de si tantos sorrisos, expressões, gestos e penteados diferentes?

Ela me contou que quando era menina costumava fazer bonecas de pano com meia- fina e pano de chita e que hoje continua a brincar e a inventar personagens, mas com bonecas de barro. 

De madrugada, se gosta muito de um deles, diz que acorda e quietinha vai observá-lo, com carinho de mãe que deu vida e transformou o barro em algo muito especial.

Se você quiser adquirir uma peça da Zandoná, dá um clique no link na Loja Encantes: http://www.lojaencantes.com.br/esculturas-ct-181b04